Stocco cobra rigor em revistas no Germano Krüger

Ponta Grossa

14 de março de 2019 11:57

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Cine Ópera registra público de 50 mil pessoas em 2018

Andarilhos brigam por causa de comida e bebida em PG

Vídeo flagra acidente com moto em rua de PG

Mulher tenta vender celular roubado e é presa
PG registra três casos de roubo nesta quinta-feira
Homem provoca incêndio que destrói casa de ex-esposa
Mulher é internada em PG após agressão na rua
Vereador lembrou o episódio de domingo em que um torcedor do Londrina jogou uma bomba na torcida adversária Foto:
PUBLICIDADE

Durante sessão da Câmara, vereador comentou sobre nova briga entre torcidas adversárias dentro do estádio e pediu que responsáveis pela segurança sejam punidos

A briga entre as torcidas de Operário Ferroviário e Londrina dentro do Estádio Germano Krüger durante a rodada do final de semana do Campeonato Paranaense repercutiu na sessão de quarta-feira (13) da Câmara de Ponta Grossa. O vereador Geraldo Stocco (Rede) cobrou uma atuação mais efetiva do clube e das empresas terceirizadas de segurança para que a violência seja evitada no local.

Stocco lembrou o episódio de domingo em que um torcedor do Londrina jogou uma bomba na torcida adversária. “Como um torcedor entra com uma bomba dentro de um estádio de futebol? Que tipo de revista é feita pelas empresas de segurança contratadas pelo clube? Será que teremos que esperar alguém sair ferido para que alguma atitude seja tomada?”, questiona o vereador.

A briga do último final de semana já é a segunda registrada dentro do estádio Germano Krüger em 2019. Ainda no primeiro turno, torcedores de Operário e Coritiba também se envolveram em uma confusão após a torcida visitante jogar pedras na arquibancada destinada para o time da casa. “Em 2019 já tivemos dois episódios e até o momento não percebi nenhuma vontade por parte dos responsáveis em resolver a situação”, destaca.

O vereador ainda pede que a empresa responsável pela segurança seja punida pelos eventuais problemas no estádio. “Quando você contrata uma empresa e ela não presta o serviço que deveria ser feito, ela precisa pagar de alguma forma. Espero que a diretoria do Operário tenha consciência dos problemas que isso pode trazer e cobre quem deve ser cobrado”, analisa.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede