Produtores buscam soluções para conservar solo

Agronegócio

25 de maio de 2019 20:24

Fernando Rogala

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Paraná supera São Paulo e registra 2º maior VBP do Brasil

Digital Agro chega ao fim com recorde de 8 mil visitantes

Digital Agro discute inovações tecnológica da agropecuária

Ratinho conhece tecnologias para impulsionar o agro
Congresso aprova crédito que garante recursos ao Plano Safra
Governador confirma agenda na Digital Agro nesta quarta
FMC orienta produtores no manejo integrado na Digital Agro
No total, 70% dos produtores apresentam o Plano de Conservação de Solo Águas (PCSA) ou Laudo Técnico (LT). Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Profissionais habilitados junto ao Crea Paraná são indicados para auxiliar produtores na adoção de práticas e técnicas propostas pelas instituições de pesquisa

Nos últimos anos, os problemas referentes à degradação do solo se agravaram no Paraná em decorrência de fatores climáticos, com intensos períodos com chuvas de grande potencial de erosividade. Aliado a isso, o abandono de práticas conservacionistas básicas nas áreas de exploração ajudam a potencializar os processos erosivos.

Dados da Agência de Defesa Agropecuária (Adapar) mostram que nos últimos dois anos, de 2016 a 2018, 1.659 ações de fiscalização foram realizadas em todo o Estado  por meio do Programa de Fiscalização do Uso do Solo Agrícola. Segundo o coordenador do Programa, o Engenheiro Agrônomo e Fiscal de Defesa Agropecuária, Luiz Renato Barbosa, as ações foram originadas, em parte, por iniciativa dos fiscais durante a rotina de trabalho; por denúncias relativas ao mau uso do solo agrícola, que resultam em danos erosivos e degradação do solo agrícola; ou a pedido do Ministério Público.

“A boa notícia é que, como resultado das ações fiscais, temos verificado que a classe produtiva tem buscado a readequação das áreas”, diz o coordenador. Do total de atendimentos, apenas 30% dos produtores não realizam as medidas corretivas que são exigidas na fiscalização. Os outros 70% apresentam o Plano de Conservação de Solo Águas (PCSA) ou Laudo Técnico (LT) e concluem as obras, com a ‘baixa’ da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) junto ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), por profissionais habilitados, como forma de comprovar a adoção de medidas corretivas.

“O projeto técnico e a execução das medidas de conservação do solo devem ser realizados por profissionais habilitados no Crea-PR, que registram a Anotação de Responsabilidade Técnica das atividades. Ao produtor cabe seguir as recomendações do profissional de forma a resolver os problemas existentes e preservar o solo, prezando pela sustentabilidade da produção agrícola para as gerações atual e futura”, frisa o gerente do Crea-PR, em Ponta Grossa, o Engenheiro Agrônomo Vânder Della Coletta Moreno.

Conforme o coordenador do Programa da Adapar, o uso de áreas para exploração, sem atender à capacidade do solo agrícola; os sistemas de manejo produtivo adotados de forma equivocada, pela prática do plantio ‘morro abaixo’; as retiradas dos sistemas de terraceamento; o constante processo de compactação dos solos pela falta de técnicas de rotação de cultura e o trânsito excessivo de máquinas  e equipamentos, sem os devidos cuidados, são fatores preponderantes para o agravamento das perdas de solo agrícola no Estado.

“A recomendação é que a exploração agrícola seja precedida por sistemas de manejo produtivos e pautados nas recomendações da assistência técnica de profissionais habilitados, respeitando as classes de capacidade de uso do solo agrícola, mediante a adoção de práticas e técnicas propostas pelas instituições de pesquisas oficiais”, cita.

 

Ciência do Solo

De 28 a 31 de maio, acontece a VI Reunião Paranaense de Ciência do Solo, em Ponta Grossa. O evento, que neste ano terá como tema “O Desafio da Produção Agropecuária com Baixo Impacto Ambiental”, é promovido pelo Núcleo Estadual Paraná da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo (NEPAR-SBCS), em conjunto com a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e terá como sede o Premium Vila Velha Hotel. O Crea-PR é um dos apoiadores do evento.

Com o propósito de contribuir para a preservação do recurso solo aliada à produção agrícola, o NEPAR-SBCS publicará o Manual de Manejo e Conservação do Solo e da Água para o Estado do Paraná. A obra apresenta, numa linguagem direta, estratégias técnicas para um adequado manejo e conservação do solo e da água. Participaram na elaboração do Manual 72 profissionais (professores, pesquisadores e extensionistas) de 16 instituições (universidades, órgãos de pesquisa, secretarias de estado, e serviço de extensão rural).

Sobre o Crea-PR

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), autarquia que este  ano comemora 85 anos, é responsável pela regulamentação e fiscalização da atuação de profissionais e empresas das áreas da Engenharias, Agronomias e Geociências. Além de regulamentar e fiscalizar, o Crea-PR também promove ações de atualização e valorização profissional por meio de termos de fomentos disponibilizados via Editais de Chamamento.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede