Adapar publica relatório sobre brucelose e tuberculose bovinas

Agronegócio

14 de setembro de 2020 13:20

Agência Estadual de Notícias


Relacionadas

Show Tecnológico da Fundação ABC inicia nesta quarta

Produtores irão ampliar área de soja plantada na região

Paraná deverá produzir 40 milhões de toneladas de grãos

Castrolanda recebe prêmio destaque em âmbito leiteiro
Conab avalia que Brasil terá 2ª maior safra de café em 2020
Agricultura digital: O que é e como colocar em prática?
Adapar alerta sobre recebimento de sementes não encomendadas
Os últimos inquéritos tinham sido realizados nos anos de 2002 para brucelose, e 2005 para tuberculose. Foto: Reprodução/AEN
PUBLICIDADE

O inquérito foi feito em 2018 e envolveu 1.757 propriedades e cerca de 17 mil animais no estudo

Os últimos inquéritos tinham sido realizados nos anos de 2002 para brucelose, e 2005 para tuberculose.

A Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná) publicou relatório do inquérito soro-epidemiológico de brucelose e de tuberculose bovinas que aponta prevalências de brucelose no Paraná de 4,87% em propriedades, e 2,24% em animais. De tuberculose foram de 2,5% em propriedades, e 0,35% em animais.

Também foram analisados os resultados por regiões, conforme similaridade de estrutura e tamanho dos rebanhos de bovinos, seu sistema de criação, inserção no mercado e características da produção pecuária.

O inquérito foi feito em 2018 e envolveu 1.757 propriedades e cerca de 17 mil animais no estudo. Os últimos inquéritos tinham sido realizados nos anos de 2002 para brucelose, e 2005 para tuberculose.

Para realização dos inquéritos, os fiscais de Defesa Agropecuária e Assistentes de Fiscalização da Adapar receberam treinamento relacionado à amostragem, colheita de material e envio das amostras ao laboratório Centro de Diagnóstico Marcos Enrietti (CDME), que integra a Agência.

Contou com a colaboração da Universidade de São Paulo, Universidade Estadual de Londrina e Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento no delineamento e análise estatística do inquérito, o que demonstra a interinstitucionalidade e relevância do estudo.

O gerente de Saúde Animal da Adapar, Rafael Gonçalves Dias, diz que novas diretrizes do Programa Estadual de Controle e Erradicação de Brucelose e Tuberculose foram tomadas a partir dos resultados encontrados. Segundo ele, foi um trabalho grande, com envolvimento e comprometimento dos servidores da Adapar, desde a área administrativa, supervisores regionais, fiscais e assistentes que trabalharam diretamente nas propriedades, técnicos do CDME e vários outros entes que auxiliaram nos dois inquéritos. “Estamos felizes por entregar à sociedade os resultados que nos auxiliam na tomada de decisões e evolução na legislação que normatiza o controle e erradicação dessas doenças”, afirma.

Novas Medidas - Com base no comparativo com o inquérito de 2018, foram adotadas novas medidas acerca do saneamento das propriedades, a fim de diminuir a ocorrência das duas enfermidades, como a Resolução Nº 055, de 26 de junho de 2020, que dispõe sobre a indenização de proprietários de animais diagnosticados como reagentes positivos para tuberculose; a Portaria nº 154, de 17 de julho de 2020, que estabelece as normas para indenização de proprietários de bovinos e bubalinos diagnosticados como reagentes positivos para tuberculose, e a Portaria nº 157, de 17 de julho de 2020, que estabelece as normas para o saneamento de propriedade com bovino ou búfalo diagnosticado positivo para brucelose ou tuberculose.

As Enfermidades - A brucelose e a tuberculose bovinas são doenças bacterianas de caráter crônico causadoras de perdas econômicas para a exploração pecuária de leite e carnes, e que podem ser transmitidas para o homem. Tanto a brucelose (Brucella abortus) quanto a tuberculose (Mycobacterium bovis) são consideradas endêmicas em todo território nacional.

Acesse o Relatório no site da Adapar.

PUBLICIDADE

Recomendados