Municípios da região lideram produção agropecuária

Agronegócio

15 de outubro de 2020 19:29

Fernando Rogala


Relacionadas

Ipea prevê menor crescimento do agronegócio em 2021

Herança Holandesa expande produção de farinha em PG

ID Agro vai permitir o registro gratuito de máquinas agrícolas

Castrolanda está entre as maiores empresas do agro
Cooperativas irão construir maltaria nos Campos Gerais
Estado abre chamada pública para agricultura familiar
Definidos os vencedores do Café Qualidade Paraná 2020
O município de Castro produziu 280 milhões de litros de leite em 2019, valor 43% superior ao segundo colocado, Patos de Minas Foto: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Castro foi o município que mais produziu leite em 2019, enquanto que Ortigueira liderou na produção de mel

 

Dois municípios da região dos Campos Gerais lideram a produção pecuária em âmbito nacional. Castro é a cidade que mais produz leite no Brasil, enquanto que Ortigueira é a maior produtora de mel no território nacional. Carambeí e Arapoti também estão no ranking dessas produções, ocupando a terceira colocação nessas respectivas atividades (produção de leite e de mel). Os números são da Pesquisa Pecuária Municipal (PPM), revelados nesta quinta-feira (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, e são referentes à produção no decorrer de 2019.

De acordo com o levantamento, o município de Castro mais uma vez honrou o título de Capital Nacional do Leite. Com produção de 280,0 milhões de litros (0,8% do total nacional), o valor é 43% superior ao segundo colocado, o município mineiro de Patos de Minas, que produziu 195,8 milhões de litros. Carambeí, por sua vez, manteve a terceira posição nacional, e ficou próximo ao segundo colocado, com 180,0 milhões de litros produzidos no decorrer do ano passado. Entre esses municípios, a produção de Castro foi 4,2% menor do que a do ano anterior, assim como Carambeí, que teve retração; enquanto que Patos de Minas apresentou acréscimo de 1,5%.

No Brasil, a produção nacional de leite alcançou 34,8 bilhões de litros, o segundo maior volume já registrado na pesquisa, com um aumento de 2,7% em relação a 2018. O efetivo de vacas ordenhadas, em 2019, alcançou 16,3 milhões de animais, 0,5% menor em relação ao ano anterior. O Sul do País registrou a maior produtividade nacional, liderado por Santa Catarina, que alcançou 3 816 litros de leite/vaca/ano, seguido pelo Rio Grande do Sul (3 609 litros de leite/vaca/ano) e o Paraná (3 324 litros de leite/vaca/ano). Minas Gerais é o estado que mais produz leite, seguido pelo Paraná.

Quanto ao mel, mais uma vez Ortigueira destacou-se na liderança, com 795,4 toneladas produzidas no último ano. Na segunda posição se destacou Botucatu (São Paulo), enquanto que na terceira apareceu Arapoti, cuja produção em 2019 superou a de Itatinga (São Paulo), invertendo a posição de ambos em relação ao ranking de 2018. O Paraná foi o estado que mais produziu mel no último ano no país, com 15,7% do total nacional. Em 2019, a produção nacional de mel atingiu 46,0 mil toneladas, o que representou um aumento de 8,5% em relação ao ano anterior.

 

Castro tem o 3º maior valor de produção de origem animal 

O município de Castro também se destacou em um outro ranking divulgado pela PPM: de ocupar a terceira colocação no ranking dos municípios com maiores valores de produção de produtos de origem animal. Em termos de valor da produção, os ovos de galinha e o leite de vaca foram os produtos de origem animal de maior destaque. A primeira colocação ficou com o município de Santa Maria de Jetibá (ES), onde o valor da produção de origem animal atingiu R$ 1,1 bilhão, sendo a venda de ovos de galinha responsável por 92,5% dessa quantia. Na segunda posição, com R$ 817,2 milhões, se destacou Bastos (SP), também com a produção de ovos, e na terceira colocação Castro, onde, dos R$ 456,4 milhões gerados com produtos da pecuária, atividade leiteira foi responsável por 97,5% do total.

PUBLICIDADE

Recomendados