PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Exportações do agro do Paraná somaram US$ 13,29 bi

Agronegócio

15 de janeiro de 2021 17:38

Da Redação


Relacionadas

Soja deverá gerar R$ 5,6 bilhões em riquezas na região

Setor leiteiro movimenta mais de R$ 2 bilhões na região

Frísia tem maior faturamento da sua história em 2020

Paraná deve colher 23,9 milhões de toneladas de grãos
Tec Campo Online mobiliza cooperados da Capal
Bancos disponibilizam R$ 28 bi para custeio antecipado da safra
BB disponibiliza R$ 16 bi para custeio antecipado de safra
Entre os destaques paranaenses, está o complexo soja, que exportou 17,3 milhões de toneladas Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Estado mantém a 3ª posição no ranking nacional das exportações do setor em 2020. O Brasil somou US$ 100,81 bilhões no ano passado em vendas externas do agro

As exportações do agronegócio do Paraná somaram US$ 13,29 bilhões em 2020, valor 3,98% superior ao desempenho de 2019, quando o setor exportou US$ 12,78 bilhões. Os números, divulgados nesta semana, são da Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Com esse resultado, o Estado mantém a 3ª posição no ranking nacional das exportações do setor em 2020. O Brasil somou US$ 100,81 bilhões no ano passado em vendas externas do agro, e o Paraná contribuiu com 13,18% do total. Na primeira colocação está o Mato Grosso (17,73%), seguido de São Paulo (17,09%). 

Os números também indicam que o agronegócio ampliou sua participação no comércio exterior do Paraná. Em 2019, correspondia a 77,6% das exportações. Agora, representa 80,9% do total exportado.

Na avaliação do secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, o desempenho paranaense é reflexo do trabalho intenso no campo, mesmo em meio à pandemia. “No ano mais difícil da história moderna, o agro irrigou a economia. E, em 2021, há perspectivas de boa produção, tanto de grãos quanto de carnes. O dólar valorizado ajuda a manter bons preços aos produtores. Sigamos respeitando a ciência e trabalhando pelo desenvolvimento da economia paranaense”, disse. 

Previsto para o mês de maio, o reconhecimento internacional do Paraná como Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação deve potencializar as exportações.

O chefe do Departamento de Economia Rural (Deral), Salatiel Turra, aponta ainda o aprimoramento profissional dos produtores, o trabalho das cooperativas, a pesquisa e a assistência técnica especializada, além do sistema de controle sanitário, como fatores que contribuíram para os resultados significativos em 2020. “O Paraná se destaca em termos de produção, produtividade e qualidade dos produtos ofertados, tanto no mercado interno quanto no externo”, afirmou.

Com relação às importações, o agronegócio do Estado também ocupa a 3ª posição no ranking nacional, atrás de São Paulo e Santa Catarina. Em 2020, o agro do Paraná importou US$ 1,7 bilhão.


Produtos

Entre os destaques paranaenses, estão o complexo soja, que exportou 17,3 milhões de toneladas, um aumento de 28,4% com relação ao volume exportado em 2019, e que gerou US$ 6,05 bilhões. Aproximadamente 45,5% das exportações do setor pelo Paraná correspondem a essa categoria. Já as carnes representam 21% e os produtos florestais 16,67%.

As vendas externas de carnes (bovinos, suínos e frango) alcançaram 1,84 milhão de toneladas, que geraram US$ 2,79 bilhões. A carne bovina somou 28 mil toneladas, e US$ 112,6 milhões. O frango somou 1,66 milhão de toneladas, o equivalente a 40% do volume total brasileiro, somando US$ 2,4 bilhões; e os suínos 136,7 mil toneladas, crescimento de 15,9%, somando US$ 300,6 milhões. Entre os principais destinos dos produtos paranaenses estão China e Emirados Árabes.

Outro produto com crescimento expressivo nas exportações foi o açúcar, atingindo 3,04 milhões de toneladas. Também houve aumento nas vendas externas de frutas e de fécula de mandioca.


Brasil

O desempenho do Estado segue a tendência nacional. As exportações do agro brasileiro somaram US$ 100,81 bilhões em 2020 – crescimento de 4,08% – representando 48% das exportações brasileiras. Esse é o segundo maior valor da série histórica, atrás somente de 2018, quando foram exportados US$ 101,17 bilhões.

Já as importações de produtos do agronegócio apresentaram queda de 5,2%, chegando a US$ 13,05 bilhões. O aumento das exportações e queda das importações resultou em um saldo superavitário de US$ 87,76 bilhões para o agro brasileiro.

O complexo soja foi o principal item exportado, com US$ 35,24 bilhões e 101,04 milhões de toneladas. As carnes ocuparam a segunda posição, com US$ 17,16 bilhões. As vendas de carne bovina corresponderam a 49,4% desse montante, com crescimento de 11,1% na comparação com o ano anterior. O frango representa 34,9% do total exportado pelo setor de carnes no Brasil em 2020, com US$ 5,99 bilhões. Já as vendas externas de carne suína somaram US$ 2,25 bilhões, dos quais 94,1% corresponderam ao produto in natura. 

A China adquiriu 73,2% da soja em grão exportada pelo Brasil (US$ 20,91 bilhões). O país asiático também foi o principal destino da carne bovina in natura exportada, 54,2% (US$ 4,04 bilhões).

As informações são da AEN

PUBLICIDADE

Recomendados