PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Soja gera R$ 4,22 bi em riquezas na região em 2020

Agronegócio

27 de julho de 2021 19:45

Fernando Rogala


Relacionadas

Melhores práticas do agro no Paraná serão reconhecidas

Cidades da região lideram na produção agrícola nacional

Capal anuncia os vencedores do Prêmio Leite de Qualidade

Região sofre com perdas agrícolas na crise hídrica
Agroleite 2022 ocorrerá entre os dias 9 e 13 de agosto
Preços da soja ao produtor sobem 155% em 5 anos
IBGE prevê safra recorde de 256 milhões de toneladas
soja se mantém como o produto que mais gerou riquezas no campo na região Foto: Arquivo aRede
PUBLICIDADE

Valor Bruto da Produção da soja cresceu R$ 934 milhões em um ano nos municípios dos Campos Gerais


A soja foi o produto que mais gerou riquezas no agronegócio aos municípios dos Campos Gerais em 2020. Levantamento realizado pela reportagem do Jornal da Manhã e Portal aRede junto aos números do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), levantados pelo Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (SEAB), junto à produção em cada um dos 26 municípios da região, mostra que o valor bruto da produção desse grão alcançou R$ 4,22 bilhões no ano passado. Isso corresponde a 27,5% de toda riqueza gerada no campo (somando agricultura, pecuária, silvicultura, apicultura, entre outros) em 2020, que chegou a R$ 15,35 bilhões.

O VBP da soja na região cresceu R$ 934 milhões na comparação com 2019, quando o grão registrou um valor bruto de R$ 3,28 bilhões na sua produção, o que representa um aumento de 28,4% neste período de um ano. Isso é fruto uma combinação de dois fatores: o (1) alto preço da soja no mercado internacional e (2) de uma grande produtividade, a maior da história dos Campos Gerais, na casa de 4 mil quilos por hectare, que resultou no maior volume já colhido nos municípios. De todos os 26 municípios dos Campos Gerais, em 22 a soja foi o principal produto, e em outros três, foi o segundo principal (Carambeí, Castro, São João do Triunfo) – apenas em um, Telêmaco Borba, que sequer ficou entre os três primeiros.

O município que teve maior Valor Bruto de Produção na soja foi Tibagi, onde o grão gerou R$ 554,8 milhões em riquezas – ou seja quase 44% de todo o VBP municipal, que foi de R$ 1,26 bilhão. Na sequência, apareceu Ponta Grossa, onde a soja gerou R$ 401,5 milhões em riquezas, com um crescimento de 41,59% na comparação com os R$ 283,5 milhões de 2019. Um crescimento tão expressivo que fez a cidade ‘roubar’ a segunda posição de Castro, que caiu para terceiro, com R$ 372,4 milhões (em 2019 foram 313,9). A soja representou 48,8% de todo o VBP de Ponta Grossa (R$ 822,3 milhões). Palmeira foi o quarto, com R$ 302,8 milhões, seguida por Piraí do Sul (R$ 220,3 milhões) e Teixeira Soares (R$ 220,2 milhões). Os menores resultados foram de Curiúva (R$ 8,7 milhões) e Telêmaco Borba (R$ 2,59 milhões).

De todos os municípios, apenas em um o VBP da soja caiu na comparação com 2019: em Curiúva, R$ 19,5 milhões foram produzidos em 2020, ao passo que no ano anterior, o valor foi de R$ 33,9 milhões, o que representa uma baixa de 42,5%. Por outro lado, as maiores altas percentuais foram de São João do Triunfo, com 57,3% (R$ 21,3 milhões para R$ 33,6 milhões); Prudentópolis, com 53,8% (R$130,6 milhões para R$ 201,8 milhões) e Ipiranga, com 53,8% (R$ 109,9 milhões para R$ 169 milhões). Em valores nominais, a maior alta foi de Ponta Grossa, de R$ 117,9 milhões (R$ 283,5 milhões para R$ 401,5 milhões), seguida por Tibagi, de R$ 110,1 milhões. As outras maiores altas foram de Palmeira, com R$ 86,1 milhões (de R$ 216,66 milhões para R$ 302,83 milhões), e Prudentópolis, com R$ 70,3 milhões (de R$ 130,69 milhões para R$ 201,08 milhões).


Trigo tem alta de 87% no VBP

No Estado do Paraná, o que se observou é que os grãos e as grandes culturas do Estado encabeçaram o crescimento, com variação real de 31%, passando de R$ 38,5 bilhões em 2019 para R$ 54,3 bilhões no ano passado. Nesse segmento, o trigo teve o melhor resultado, com aumento de 87% no VBP, alcançando R$ 3,5 bilhões. No setor pecuário, a alta real de 21% também foi expressiva, saltando de R$ 48,7 bilhões para R$ 63,7 bilhões. O valor de bezerros apresentou maior crescimento porcentual, com 49% de elevação, firmando-se em R$ 1,5 bilhão. As frutas também apresentaram índice positivo no Valor Bruto de Produção, com 10% de crescimento real. Nesse segmento, destaque para as tangerinas, que atingiram o índice de 99%, passando de R$ 122,8 milhões para R$ 263,8 milhões.

PUBLICIDADE

Recomendados