PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

IBGE prevê safra recorde de 256 milhões de toneladas

Agronegócio

10 de agosto de 2021 22:28

Da Redação


Relacionadas

Região permite alta produtividade na cevada

Paraná produz R$ 141,6 bi em riquezas no campo

Evento em PG celebra os 5 anos da raça Purunã

Produção será de 288,61 mi de toneladas na safra 2021/22
Frísia sobe posições em rankings das maiores
Castrolanda ganha posições em rankings das maiores
Castro e Carambeí lideram a produção nacional de leite
Produção de milho caiu em relação ao ano passado Foto: Wenderson Araujo
PUBLICIDADE

Colheita da soja já foi concluída e apresentou o melhor resultado na série histórica do levantamento do IBGE, totalizando 133,4 milhões de toneladas


Até o fim deste ano, a safra brasileira de grãos, cereais e leguminosas deve totalizar 256,1 milhões de toneladas, de acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, divulgado nesta terça-feira (10) pelo IBGE.

Apesar da redução, pelo quarto mês seguido, na estimativa, o número mantém o nível recorde, ficando 0,8% acima da safra de 2020, que já havia sido recorde, com a produção de 254,1 milhões de toneladas.

Segundo o gerente da pesquisa, Carlos Barradas, a produtividade das lavouras de milho foi afetada pelo plantio tardio da segunda safra e pela falta de chuvas durante o ciclo da cultura, uma das principais commodities da agricultura brasileira. Somados, o milho, a soja e o arroz representam 92,4% da safra brasileira.

“O milho é plantado depois da soja e, como a soja atrasou, a janela de plantio do milho ficou menor. Já tendo sido plantada fora da época ideal e ainda tendo chovido menos do que o esperado no período do cultivo, a safra de milho foi bastante afetada pelos fatores climáticos. O rendimento médio do cereal apresenta um declínio de 16,7%”, disse.

A colheita da soja já foi concluída e apresentou o melhor resultado na série histórica do levantamento do IBGE, totalizando 133,4 milhões de toneladas. A produção ficou 9,8% acima da de 2020.


Com informações da Agência Brasil

PUBLICIDADE

Recomendados