PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Palmeira discute sistema de transporte escolar

Campos Gerais

19 de fevereiro de 2014 21:41

Gabriel Sartini


Relacionadas

AMCG cobra mais segurança para as cidades da região

Palmeira altera atendimento para síndromes respiratórias

Carambeí promove reparos em galerias pluviais danificadas

São João do Triunfo destinará R$ 3 milhões para hospital
Tibagi investe mais de R$ 130 mil na área de educação
Ipiranga alinha estratégias para captação de recursos
Base do Samu em Imbituva amplia o atendimento na região
PUBLICIDADE

A Prefeitura de Palmeira e o Governo do Estado do Paraná estiveram reunidos em duas oportunidades para discutir o sistema de transporte escolar do município. Como toda a estrutura e operacionalização da rede de transporte escolar é executada pelo município, tanto para o transporte de alunos da rede municipal quanto da rede estadual, a Prefeitura reivindica um aumento do valor repassado pelo governo do estado.

Segundo o Coordenador Municipal da Frota, Geraldo Nepomuceno das Neves, em 2013 o custo total com o sistema foi de R$ 2.194.616,64, dos quais apenas R$ 421.972,31 foram repassados pelo governo estadual, enquanto R$ 1.491.882,86 foi arcado com recursos próprios do município. Tendo em vista que atualmente um total de 2.687 alunos utilizam o transporte escolar do município e destes 1.681 são alunos da rede estadual, para que o investimento seja feito de forma justa, o valor a ser repassado pelo estado deveria ser, em valores aproximados, o dobro do repassado atualmente.

Para tratar deste assunto, o prefeito Edir Havrechaki, a Secretária Municipal de Educação Lídia Mayer de Freitas e o Coordenador da Frota Municipal, Geraldo Nepomuceno das Neves, estiveram reunidos em Curitiba com o Secretário Estadual de Educação Flávio Arns. Durante a reunião, Arns falou que o Sistema de Gestão de Transporte Escolar (SIGET), recentemente implantado pelo estado e que já começou a ser utilizado em Palmeira, auxiliará no estudo de uma solução para o problema, e que esta solução pode ir além de um aumento no valor repassado pelo estado.

“A partir do momento em que todos os dados estejam cadastrados e o sistema seja aperfeiçoado, poderemos chegar a uma solução mais duradoura, que pode inclusive ser a de melhorar a estrutura física de algumas escolas e, quem sabe assim, diminuir a quilometragem rodada diariamente”, explicou o secretário. Técnicos da SEED já visitaram o município na terça-feira e acompanharam um dos roteiros da área rural. Na ocasião, a equipe se comprometeu a trabalhar junto com o município para encontrar uma solução para o impasse

PUBLICIDADE

Recomendados