Prefeitos sinalizam deixar MDB caso Requião siga como líder

Campos Gerais

24 de outubro de 2018 22:25

Rodrigo de Souza

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Motociclista morre em acidente na PR-092 em Jaguariaíva

Arrecadação federal atinge R$ 2,74 bi na região

Jaguariaíva entrega novo veículo de transporte à APAE

Professora desenvolve projeto sobre inteligência emocional
VII Festival de Tortas traz vários sabores para o Parque Histórico
Solidariedade marca a Semana da Família em Telêmaco
Praça 18 de Março será modernizada em Tibagi
Senador Roberto Requião (esq.) e Moacyr Fadel, prefeito de Castro. Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Prefeitos, vereadores e líderes regionais sinalizam para rompimento com o senador. Prefeito de Castro, Moacyr Fadel assina documento repudiando apoio do partido ao PT estadual.

A aliança do MDB paranaense com o diretório estadual do PT, costurada pelo senador Roberto Requião (MDB-PR), não foi vista com bons olhos pelos demais líderes do partido no Paraná. Nos últimos dias, prefeitos, vereadores e lideranças do interior se posicionaram contra a atitude de Requião, o que gerou uma indisposição dentro da legenda.

Membros do diretório divulgaram um manifesto com críticas a aliança. Dentre os signatários da nota está o prefeito de Castro, Moacyr Fadel. O documento, intitulado ‘PT não, Requião’, afirma que a visita dos petistas à sede estadual do MDB não agradou os membros do partido.

“Não achamos que tenha sido uma ocasião adequada para que pessoas que agrediram o MDB muito recentemente sejam recebidas. Tivemos o candidato ao governo do MDB, João Arruda, atacado pelo candidato Dr. Rosinha – de quem o senador Requião se fez anfitrião”, afirmou a nota. A referência é uma reunião organizada pelo senador paranaense com líderes estaduais do PT dentro da sede do diretório do MDB no Paraná, nos últimos dias, para alinhar um apoio à candidatura de Fernando Haddad (PT) no segundo turno das eleições presidenciais.

Moacyr Fadel afirmou que a atitude foi tomada sem consultar os membros que participam ativamente do partido. “A grande maioria é contra o posicionamento do MDB com o PT. Eu particularmente também não concordo com essa aliança e nem com o que fizeram e os rumos que o partido está seguindo no Paraná”, afirmou Fadel.

O manifesto faz questão de deixar claro que o partido não está alinhado com os petistas. “O PT do Paraná é arrogante tal qual o nacional. Um partido obstinado. O que não se espera, porém, do MDB do Paraná. O MDB do Paraná não pode se confundir com o PT. Muito menos dar aos representantes do PT a impressão de que os dois partidos estão alinhados, porque não estão”, afirma.

O prefeito de Castro afirma que as lideranças que assinam o manifesto e somam quase 100 nomes no interior paranaense, devem apoiar o deputado estadual Antônio Anibelli Neto (MDB) nas eleições internas do partido em dezembro. O apoio é uma tentativa de tirar o grupo político de Roberto Requião da frente do partido.

Fadel afirma que, caso o cenário estadual não seja alterado após o final do ano, existe uma grande possibilidade de que as lideranças do interior abandonem o MDB e busquem um novo partido. O próprio prefeito de Castro, inclusive, garantiu que tomará esta decisão.

Filho de Requião defende postura do pai

O deputado estadual Maurício Requião foi o único a se posicionar oficialmente a favor do senador logo após o manifesto. Através de nota, o filho de Requião afirmou que estranhou as atividades dos militantes “que se dizem do MDB”. “A reunião que desagradou a tantos, não era sobre um partido ou outro. Foi uma reunião suprapartidária que contou inclusive com os partidos da última coligação ao governo do MDB, PDT e PCdoB. A discussão girou em torno da defesa da democracia. Algo natural na sede do Movimento Democrático Brasileiro”, disse. O deputado ainda afirmou que os signatários da carta querem o enfraquecimento do partido no Estado.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede