Região se aproxima de 100 mil optantes do Simples Nacional

Campos Gerais

06 de fevereiro de 2019 20:02

Fernando Rogala

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Batida entre carro e moto deixa vítima fatal em Jaguariaíva

Jaguariaíva garante R$ 16 mi em convênios com o Governo

Klabin confirma 11 mil vagas de empregos na região

Klabin e Telêmaco iniciam nova metodologia de coleta de lixo
Palmeira desenvolve projeto sobre bullying nas escolas
Câmeras do Exército flagram família de onças
Castro aprova criação do Conselho Municipal de Trânsito
Ariadne Karnopp é optante pelo Simples Nacional desde 2017 Foto: Cristiano Barbosa
PUBLICIDADE

Somente neste mês de janeiro, houve um crescimento de 5.242 na adesão, entre novos optantes e por parte daqueles que regularizaram sua situação junto à Receita Federal


O número total de contribuintes enquadrados no Simples Nacional registrou um aumento de 2,47% em 2019 junto aos municípios pertencentes à circunscrição da delegacia regional da Receita Federal do Brasil sediada em Ponta Grossa. Se no ano passado eram 95,6 mil contribuintes, entre micro e pequenas empresas e MEI’s inscritos sob esse regime simplificado de tributação, agora em 2019 são exatos 97.967 registrados nas 62 cidades. Entre novos optantes, ou excluídos e acertaram seus débitos para poder fazer a adesão em 2019, foram 5.242 contribuintes.

Somente em Ponta Grossa, o número de contribuintes incluídos no Simples passou de 25,1 mil para 25.940. Entre novos contribuintes ou que fizeram a regularização foram 1.691. Em dezembro, a Receita Federal fez a exclusão de contribuintes que tinham pendências junto à receita, como o não recolhimento mensal. Em Ponta Grossa foram 1,4 mil excluídas, que não poderiam fazer a opção, novamente, para essa modalidade para o exercício 2019, caso não acertassem os débitos.

O número de novas empresas ou de regularizadas é maior que a diferença em relação ao ano anterior devido ao fato de que além das excluídas, há as que deixam o regime, as que migram ou que fecham. Diante dessa fiscalização feita pela Receita, também há a comprovação de que essas quase 26 mil empresas ou MEI’s em Ponta Grossa e próximo 100 mil na região estão ativas e regulares. 

“Os principais benefícios em optar pelo Simples são fazer o recolhimento de vários tributos de forma unificada, e há uma simplificação, que reduz as obrigações acessórias. Há, ainda, a questão das alíquotas diferenciadas”, alega Marcelo Catarossi, delegado-adjunto da Receita Federal do Brasil em Ponta Grossa. Entre esse os impostos incluídos no Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS) estão IRPJ, CSLL, PIS,  Cofins, IPI, CPP, ISS e ICMS.

Ariadne Karnopp, proprietária da Bangalô dos Pasteis em Ponta Grossa, afirma que esse modelo é o melhor para sua empresa. “Para empresas de pequeno porte e com um quadro de funcionários significativo, o Simples Nacional é a melhor opção tributária visto que há uma economia de 30% nos encargos sobre a folha de pagamento. Além disso, contamos com benefícios específicos tanto na prefeitura como na Receita Estadual e ainda há diminuição das exigências nas participações em licitações”, destaca.


Alternativa

A opção do Simples só pode ser feita por Microempresas (ME), que são aquelas que têm faturamento anual de até R$ 360 mil, e Empresas de Pequeno Porte (EPP), cujo faturamento não pode superar os R$ 4,8 milhões. Os Microempreendedores Individuais (MEI’s) também são enquadrados diretamente nesse regime facilitado. Caso a empresa não opte pelo Simples, ela pode escolher pelo Lucro Presumido ou pelo Lucro Real – no caso desse primeiro, por exemplo, ao invés de apenas um tributo, são cinco impostos, e considerando 5% de ISS.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede