Tibagi promove Conferência sobre Segurança Alimentar

Campos Gerais

17 de junho de 2019 15:17

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Ultrapassagem proibida acaba em morte na BR-277

Operação conjunta detém dez suspeitos de roubos

Romeiro viaja 1600 km de mula para conhecer Santuário

Rapaz procura hospital após levar tiro no rosto
Batida entre caminhões interdita trânsito na BR-153
Aline Sleutjes conquista R$ 11 milhões para Castro
Festival Multicultural de Castro atrai 3 mil pessoas
PUBLICIDADE

O evento teve como tema 'Comida de verdade no campo e na cidade – o que temos e o que queremos'

Nesta sexta-feira (14), a Prefeitura Municipal de Tibagi, através do Conselho Municipal de Segurança Alimentar, realizou a 2ª Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, que reuniu produtores e profissionais ligados à segurança alimentar. O encontro acontece a cada três anos.

A conferência abordou a discussão dos eixos e teve palestra sobre o tema 'Comida de verdade no campo e na cidade – o que temos e o que queremos', ministrada pela economista doméstica da Emater, Jeanne Darke. Ela frisou a importância da atuação do poder público na produção de alimentos. “É interessante que o município está preocupado com esse processo, porque a segurança alimentar não é algo somente que se pense em alimento, por alimento, por produção, ela tem envolvimento com a saúde, o plantio, a nutrição. São vários fatores e é a intersetorialidade entre as entidades e o poder público, que pode contribuir, no caso de políticas públicas, para produção de alimentos”, disse.

Para a presidente do Conselho, Adenair Carvalho de Souza, a Conferência é um momento para discutir sobre temas relacionados a alimentação. “É de suma importância que as conferências aconteçam, até para que se tragam novas pessoas para brigar por uma alimentação saudável, uma alimentação de verdade, porque alimentação de verdade, alimentação segura não é só na nossa casa, é na escola, no restaurante, acontece em todos os ambientes. A gente ainda vai abordar a questão do agrotóxico. Precisamos ver essa questão na segurança alimentar, porque temos que pensar desde o momento que se está colocando a semente, até o momento que vai chegar na mesa”, explicou.

Com informações da Assessoria de Imprensa

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede