Fósseis de 400 milhões de anos atraem pesquisadores

Campos Gerais

07 de outubro de 2019 11:00

Da Redação


Relacionadas

IML identifica homem morto com golpes de facão em TB

Vítima de acidente de moto é transferida de helicóptero

Rompimento de adutora deixa bairros de Ipiranga sem água

Homem morre após levar golpes de facão na cabeça
Jovem morre no hospital após ser espancado em Tibagi
Pedestre é atropelado ao parar para ver acidente
Centro Cultural Castrolanda realiza “Carnazumba”
Na última sexta (4), estudantes do curso de Agronomia da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) de Bandeirantes, estiveram visitando o sítio Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Sítio paleontológico com fósseis de invertebrados marinhos devonianos fica em Jaguariaíva 

O município de Jaguariaíva é conhecido no meio científico por ser rico em fósseis de invertebrados marinhos devonianos.  A principal fonte buscada para esses estudos fica no trecho do antigo ramal ferroviário Jaguariaíva-Arapoti, lugar que têm atraído até 20 turmas de acadêmicos e pesquisadores por ano.

Nessa sexta (4), a visita foi de estudantes do curso de Agronomia da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) de Bandeirantes. Eles foram recepcionados pelo diretor de Meio Ambiente da Secretaria de Agropecuária e Meio Ambiente, Leonardo von Linsingen, coordenadora de Esportes Andressa Wolters e  a chefe de Gabinete, Gisele Siryng.

De acordo com o professor de Geologia e Paleontologia que acompanhava as turmas, Túlio Roberto Pavilhão, em Jaguariaíva é possível aprofundar estudos na área de forma atrativa. “O sítio paleontológico existente na cidade, além de abundante material, tem acesso relativamente fácil, dentro da área urbana, e com escavação artificial da terra feita pela linha férrea. Para mim já se tornou um padrão vir à Jaguariaíva para estas pesquisas”, disse Pavilhão.

Informações Assessoria de Imprensa

PUBLICIDADE

Recomendados