PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Indústrias da região ampliam protocolos de segurança

Campos Gerais

03 de abril de 2020 20:13

Da Redação


Relacionadas

Prudentópolis decreta luto após centésima morte por covid

Cândido de Abreu avalia uso de pulseiras para conter a covid-19

Porto Amazonas avança em projetos para o Rio Iguaçu

Obras do programa Paraná Trifásico beneficiam a região
Projeto quer proibir fogos com estouro em Piraí do Sul
Castro garante novos insumos para o setor de saúde
Prefeitura de Irati flexibiliza restrições até o mês de julho
Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Fabricantes de alimentos mantém produção para garantir o abastecimento do mercado nacional


Como um dos serviços essenciais para a população, a produção de alimentos é um dos segmentos que não pararam em meio à crise da covid-19. As indústrias deste setor, instaladas em municípios da região dos Campos Gerais se adaptaram no início da pandemia e seguem atentas às determinações dos órgãos oficiais para manter as atividades, garantindo o abastecimento dos supermercados.

A Alegra, produtora de alimentos de origem suína, cuja indústria está instalada no município de Castro, implementou rígidos protocolos de higienização e segurança à rotina dos colaboradores da fábrica, como a verificação da temperatura de todos colaboradores diariamente, adoção de tapetes sanitizantes de calçados na entrada e saída da indústria, aumento do número de ônibus para o deslocamento dos colaboradores, retirada de bandejas dos refeitórios, distribuição de kits individuais de talheres, entrega de frascos individuais de álcool gel 70%, entre outros.

Com procedimentos mais rígidos de cuidados com a saúde e segurança dos colaboradores, a indústria segue em funcionamento para atender à demanda do mercado. “Como fabricantes de alimentos, somos essenciais nesta hora, por isso, ampliamos o zelo com nosso time para assegurar a manutenção da cadeia produtiva”, explica o superintendente da Alegra, Matthias Rainer Tigges.

Além disso, a Alegra suspendeu reuniões presenciais, visitas aos fornecedores, implementou o sistema de trabalho remoto para todos setores indiretos e liberou os colaboradores que estão no grupo de risco para o isolamento social. “Não estamos medindo esforços para manter a unidade segura e produtiva, e a responsabilidade é de todos”, finaliza o especialista em gestão de pessoas da Cooperativa Castrolanda, Ray Charlys Torres.


Empresas do setor de embalagens  seguem ativas

Empresas do setor de embalagens também não interromperam a produção na região. A Klabin, por exemplo, afirmou que preza pela manutenção de suas atividades para garantir a produção de embalagens que envasam, protegem, acondicionam e transportam itens de primeira necessidade e importantes para a população, em especial nos segmentos de alimentos, produtos de limpeza, e de higiene pessoal e hospitalar. Além do reforço no protocolo de higiene, inúmeras outras ações foram adotadas pela Companhia, para a prevenção da disseminação do novo coronavírus.

Com informações das assessorias

PUBLICIDADE

Recomendados