PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Castro registra queda na arrecadação e repasses

Campos Gerais

26 de maio de 2020 21:00

Da Redação


Relacionadas

Capal doa novos equipamentos para o hospital de Arapoti

Carambeí projeta novo Centro Municipal de Saúde

Piraí do Sul aprova projeto que proíbe fogos com barulho

Ensino municipal de Palmeira retoma atividades na segunda
Bakri inaugura maior rede de abastecimento rural do PR
Prefeito de Tibagi dialoga com empresários sobre restrições
Palmeira registra quatro novos casos de Covid-19
Município terá que aplicar medidas de contingenciamento do orçamento, na busca de manter o equilíbrio econômico Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Município terá que aplicar medidas de contingenciamento do orçamento, na busca de manter o equilíbrio econômico

A Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Urbano da Prefeitura de Castro, realizou na última segunda-feira (25), na Câmara Municipal, Audiência Pública de prestação de contas referente ao primeiro quadrimestre de 2020 que compreende os meses de janeiro a abril.

O secretário municipal de Planejamento e Desenvolvimento Urbano, Emerson Fadel Gobbo, explica que houve queda na receita corrente no último quadrimestre. As receitas previstas para este período eram de R$ 83.119.390,00 e as realizadas foram R$ 73.407.656,08, uma queda de R$ 9.711.734,00, o que significa redução de 11,68% do valor previsto.

As projeções mostram queda na arrecadação também para os próximos períodos. Até o dia 25, a queda foi de 38,28% em relação a maio do ano passado. “Diante do quadro que se apresenta, serão necessárias medidas de contingenciamento do orçamento, na busca da manutenção do equilíbrio econômico e financeiro, para não se colocar em risco os pagamentos da folha e dos fornecedores”, disse Gobbo.

O prefeito Moacyr Fadel Junior ressalta que a pandemia do coronavírus foi um dos fatores que reduziu a arrecadação e os repasses para os municípios. “Com o isolamento social, as pessoas ficaram em casa e isso refletiu no consumo em geral. Muitas pessoas perderam sua renda e apertaram o cinto”, comenta Moacyr.

Números

O relatório também apresenta que a receita corrente prevista para 2020 é de pouco mais de R$ 249 milhões. Já as receitas realizadas no primeiro quadrimestre totalizaram R$ 73.407.656,08. Deste valor 19,09% foram investidos em educação. Na saúde foram investidos 38,34%. Os gastos de despesas com pessoal nos últimos 12 meses, atingiram 50,19%.

PUBLICIDADE

Recomendados