Investimento no Projeto Puma atinge R$ 2,7 bi

Campos Gerais

12 de agosto de 2020 19:32

Fernando Rogala


Relacionadas

PRF apreende R$ 100 mil em contrabando na BR-277

Sistema Confea/Crea/Mútua realiza eleições nesta semana

Kadesh terá nova fábrica na região e abrirá 100 vagas

Palmeira tem cinco chapas na disputa pela Prefeitura
Caminhão container tomba após pedágio na BR 376
Após ser espancado em praça, homem morre no hospital
Homem reage a assalto e morre após levar tiros no Paraná
Máquina de Papel 27 produzirá celulose não branqueada integrada a uma máquina de papel Kraft Foto: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Somente no segundo trimestre de 2020, aporte realizado chegou a R$ 908 milhões. Obras da fase 1 estão 45% concluídas 


A Klabin mantém, mesmo com a pandemia do novo coronavírus, o avanço das obras de construção do Projeto Puma II, no município de Ortigueira, na região dos Campos Gerais. Somente no segundo trimestre de 2020, por exemplo, a Companhia desembolsou R$ 908 milhões, o maior valor gasto no projeto para um período de apenas três meses, desde o início da preparação da obra, no segundo trimestre de 2019. Até o dia 26 de julho, a Companhia afirmou que a fase 1 do projeto já está com 45% do cronograma das obras já executado, cujo aporte já realizado acumula R$ 2,7 bilhões, sendo R$ 1,43 bilhão somente em 2020. O investimento total da Klabin neste novo projeto é de R$ 9,1 bilhões.

Segundo a Companhia, este segundo trimestre foi marcado pela remobilização gradual dos trabalhadores realizada no local ao longo deste período. Ainda no final do primeiro trimestre (março), devido à pandemia, houve uma desmobilização, para evitar a disseminação do novo coronavírus quando a doença chegou no Paraná. A Companhia ressalta que para a remobilização, todas as medidas de prevenção anunciadas desde o início da pandemia foram reforçadas. Estas iniciativas também foram alinhadas com as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), para garantir a segurança dos colaboradores e priorizar a saúde e o bem-estar dos envolvidos.

O avanço de 45% no cronograma se refere à edificação da Máquina de Papel 27, que é a primeira máquina de papel para embalagens do projeto Puma II, construído em paralelo com a linha de celulose da Unidade Puma I. A Máquina de Papel 27 se refere à fase 1 do investimento, a qual irá produzir celulose não branqueada integrada a uma máquina de papel Kraftliner e Kraftliner Branco, para produzir embalagens de baixa/média gramatura (80 a 200 g/m²), que serão comercializadas sob a marca Eukaliner, com capacidade de produção de 450 mil toneladas anuais. Para esta primeira fase, que tinha o cronograma inicial de execução de dois anos, com previsão de término em junho de 2021, o investimento irá girar em torno de R$ 6 bilhões, ou seja, dois terços de todo aporte. Segundo empresa revelou nesta última semana, a previsão de início de operação segue em meados de 2021.

Já a segunda fase do projeto, prevista para iniciar em julho de 2021, contempla a construção de uma linha de fibras complementar integrada a uma máquina de papel Kraftliner, para produzir papéis de média e alta gramatura (150 a 300 g/m²), utilizando fibras mistas, com capacidade de 470 mil toneladas anuais. O cronograma também prevê a execução em cerca de 24 meses.


Volume total de vendas cresce em relação a 2019

Sobre os resultados alcançados no segundo trimestre, a Klabin registrou aumento de 39% no Ebitda ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no segundo trimestre de 2020, no comparativo com o mesmo período do ano anterior, atingindo R$ 1,33 bilhão. O volume total de vendas da companhia nos meses de abril, maio e junho deste ano foi de 858 mil toneladas, aumento de 5% no comparativo com o mesmo período de 2019. A receita líquida da companhia cresceu 14% no 2T20, comparado ao 2T19, totalizando R$ 2,95 bilhões, impactada positivamente pelo bom desempenho das vendas e pela desvalorização do real no período, principalmente no mercado de celulose, cuja receita é 100% atrelada ao dólar.

PUBLICIDADE

Recomendados