Região se consolida como 2ª maior produtora de cevada

Campos Gerais

18 de setembro de 2020 21:00

Dhiego Tchmolo


Relacionadas

Ivaí terá apenas dois nomes na disputa pela Prefeitura

PM apreende mais de 480 kg de drogas nos Campos Gerais

Em Carambeí, Osmar Rickli afirma que ‘segue no páreo’

Médico é morto dentro do próprio consultório
Pedágio fica mais caro na região a partir desta quarta
Postes irregulares aguardam realocação da Copel em Palmeira
Feriadão registra 21 feridos nas estradas dos Campos Gerais
Com 20.755 hectares da gramínea cerealífera plantada, a produção de cevada na região dos Campos Gerais representou 30% do total colhido no Estado Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Campos Gerais é responsável por 26% da área estadual, com destaque para Ponta Grossa

A produção de cevada rendeu ao Paraná um faturamento bruto de mais de R$ 250 milhões em 2019, de acordo com dados do Valor Bruto de Produção (VBP), divulgado na última semana pelo Departamento de Economia Rural (Deral). Com 20.755 hectares da gramínea cerealífera plantada, a produção de cevada na região dos Campos Gerais representou 30% do total colhido no Estado, o que resultou em um VBP superior a R$ 77 milhões.

O destaque na região foi Ponta Grossa, que no período foi o 4° maior produtor de cevada, com um faturamento de mais de R$ 16 milhões. A cevada fornece uma farinha alimentícia e o produto resultante da germinação artificial dos grãos (malte) é utilizado na fabricação da cerveja e de outros produtos.

A expectativa é ainda maior para a próxima safra do grão: cerca de 90% da área plantada com cevada no Paraná (62,7 mil hectares) está em desenvolvimento vegetativo e felizmente foi pouco afetada pelas geadas, disse o engenheiro agrônomo do Deral, Rogério Nogueira. O município de Guarapuava, maior produtor, concentra cerca de 60% da produção de cevada no Estado, não foi prejudicado porque está com 100% da área plantada em desenvolvimento vegetativo.

Já a região dos Campos Gerais e Ponta Grossa, a segunda maior produtora, com 26% da produção estadual, está com 35% da área plantada em floração e foi atingida pelas geadas da segundo quinzena do mês de agosto, disse Nogueira. O Deral mantém a produção de cevada em 289 mil toneladas no Estado, volume 13% acima da produção do ano passado. Nos contratos futuros, a cevada está sendo negociada a R$ 60,60 a saca com 60 quilos.

O estimado total de todos os grãos é um volume de 24,3 milhões de toneladas, numa área de seis milhões de hectares, a maior ocupada até agora no Estado. São 65 mil hectares a mais do que a safra anterior, que serão basicamente ocupados pela produção de soja.

Riquezas do campo somam R$ 11 bi

O Valor Bruto de Produção (VBP) dos 26 municípios dos Campos Gerais gera R$ 11,7 bilhões em riquezas para a região. Destaca-se Castro, que tem o maior VBP regional, com R$ 1,7 bilhão, seguido por Tibagi (R$ 942 milhões), Carambeí (R$ 800,3 milhões), Piraí do Sul (R$ 698,6 milhões), Palmeira (R$ 682,1 milhões) e Ponta Grossa (R$ 628,5 milhões). Entre os comparativos de 2018 e 2019, a variação foi positiva para os Campos Gerais: crescimento de 6,62% no Valor Bruto de Produção.

Com informações da assessoria de imprensa.

PUBLICIDADE

Recomendados