PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Aluno da UFPR ganha prêmio internacional por descoberta

Campos Gerais

15 de janeiro de 2021 10:31

Da Redação


Relacionadas

Rebouças terá programa de incentivo ao primeiro emprego

Jaguariaíva entrega 150 novos notebooks o setor de ensino

Seminário em Castro apresenta experiências educacionais

Ivaí amplia o abastecimento de água com apoio da Sanepar
Tibagi abre pista de canoagem avaliada em R$ 1,2 milhão
Irati terá investimento de R$ 5 milhões em obras públicas
Caminhão com bebê de 6 meses tomba em Carambeí
Com essa descoberta dos fósseis de duas espécies até então desconhecidas, agrega maior valor à pesquisa científica nessa região. Foto: Reprodução/Marcos Solivan
PUBLICIDADE

Jaguariaíva é reconhecida pela sua riqueza fossilífera de invertebrados marinhos, animais que existiram no nosso planeta há mais de 300 milhões de anos atrás

Uma descoberta feita recentemente por integrantes do grupo de pesquisa sobre Geologia Exploratória, do Departamento de Geologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) revelou fósseis de espécies até então desconhecidas, cuja pesquisa rendeu ao estudante do curso de Geologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Malton Carvalho Fraga, o prêmio “Undergraduate Prize 2020” da Associação Paleontológica (The Palaeontological Association – ThePalAss) sediada no Reino Unido - Europa. Segundo a Associação, este é o primeiro certificado nos últimos quatro anos entregue para um estudante brasileiro.

De acordo com os pesquisadores, as descobertas são importantes para mostrar a diversidade e as peculiaridades das espécies que viveram nos mares polares durante o período Devoniano.

Com essa descoberta dos fósseis de duas espécies até então desconhecidas, agrega maior valor à pesquisa científica nessa região. Batizadas em homenagem ao estado, a família chama-se Paranasteridae, o gênero Paranaster, a espécie Paranaster crucis (estrela-do-mar), o gênero Magnasterella e a espécie Marginix notatus (serpente do mar).

Assim os estudos destes fósseis contribui para os pesquisadores diagnosticarem como era o nosso planeta, as mudanças climáticas e como os seres vivos se comportavam neste período. A coleta dos fósseis foi realizada por diferentes alunos e professores, em pontos estratégicos dos municípios de Ponta Grossa e Jaguariaíva. Os fósseis estudados estão depositados no Laboratório de Paleontologia (LABPALEO) da Universidade Federal do Paraná, na cidade de Curitiba.

O estudo pioneiro, realizado pelo estudante Malton junto a sua orientadora professora Cristina Silveira Veiga, foi publicado na revista científica internacional Journal of South American Earth Sciences. Para acessar o artigo publicado pelo estudante é só clicar aqui.

Informações Prefeitura Municipal de Jaguariaíva 

PUBLICIDADE

Recomendados