PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

CimSaúde apresenta trabalhos para novos prefeitos

Campos Gerais

15 de janeiro de 2021 19:40

Da Redação


Relacionadas

Polícia investiga incêndio criminoso em Palmeira

PM fecha festa clandestina com 40 pessoas na madrugada

Homem morre em confronto com a PM em Castro

Câmara de Castro fecha após o novo decreto estadual
Palmeira atualiza restrições para conter avanço da Covid
Telêmaco debate ações para fortalecer o setor cultural
Irati divulga decreto seguindo determinações estaduais
Diretoria destacou as prioridades do Consórcio para o futuro e comentou as dificuldades ocasionadas pela pandemia Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Diretoria destacou as prioridades do Consórcio para o futuro e comentou as dificuldades ocasionadas pela pandemia

O Consórcio Intermunicipal de Saúde dos Campos Gerais (CimSaúde) teve sua primeira reunião com o prefeito de Telêmaco Borba, Marcio de Matos como presidente na manhã desta sexta-feira. Após eleição e posse da nova diretoria da Associação dos Municípios dos Campos Gerais (AMCG) no Conservatório Musical Maestro Paulino, os diretores apresentaram as atividades do Consórcio aos prefeitos eleitos. Além disso, destacaram os novos desafios. “Temos que avaliar a demanda que está sendo reprimida das consultas e cirurgias eletivas”, destacou Matos, que também é médico. Com a pandemia, estes atendimentos foram pausados, já que os estabelecimentos de saúde estão com foco nos casos de covid-19.

O assunto já havia sido levantado pelos secretários municipais de saúde que abrangem o Consórcio. “Estamos preocupados e reavaliando estes atendimentos. Com o retorno teremos que priorizar os casos postergados, bem como atender os novos”, adiantou a diretora do CimSaúde, Pâmella Costa.

Além destes atendimentos, a diretoria destacou outras prioridades do Consórcio, que vem atuando pela comodidade dos pacientes, bem como pela economicidade dos municípios. “Desde 2018 estamos buscando novos prestadores de serviço nos municípios associados. Isso diminui o transporte sanitário e facilita os atendimentos”, explica Pâmella. O presidente do Consórcio destacou os custos deste transporte e também as dificuldades durante a pandemia. “Muitos deixam de realizar consultas e exames por medo do vírus, mas acabam com outras enfermidades por falta de atendimentos”, fala.

Em 2020, 75% dos municípios consorciados contava com prestadores de serviços de saúde conveniados ao CimSaúde. “Estamos com edital aberto para novos prestadores. Queremos cada vez mais ampliar tanto as especialidades como a cobertura nos municípios, sem que haja tanta dependência do transporte”, prevê a diretora. A demanda de cada município na área da saúde também está sendo avaliada para a contratação de novos prestadores. “Buscamos realizar a captação dos serviços para atender a necessidade conforme as demandas que estão reprimidas”, completa.

Com informações da Assessoria de Imprensa.

PUBLICIDADE

Recomendados