PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Policial civil aposentado é absolvido pelo Tribunal do Júri

Campos Gerais

23 de setembro de 2021 15:24

Da Redação


Relacionadas

Região lidera o crescimento na arrecadação federal

Setor de Biomassa Florestal favorece indústrias da região

Telêmaco recebe ônibus para o transporte escolar rural

Tibagi finaliza preparativos para o Dia de Finados
Projeto 'Gestão Transparente' de Carambeí recebe prêmio
PM amplia monitoramento nas cidades da região
Jaguariaíva garante ampliação do Colégio Nilo Peçanha
Júri aconteceu na cidade de Castro Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

Carlos Magno Antunes de Almeida foi acusado pelo assassinato do empresário Laércio Machado Hinselmen, 42 anos

Levado ao Tribunal do Júri da Comarca de Castro, nesta quarta-feira (23), o policial civil aposentado Carlos Magno Antunes de Almeida foi absolvido da acusação de assassinato do empresário Laércio Machado Hinselmen, 42 anos. O Conselho de Sentença acatou a tese de legítima defesa, inocentando-o.

O caso aconteceu em dezembro de 2007, em Carambeí, na região dos Campos Gerais. Na denúncia do Ministério Público consta que por volta das 18 horas, na PR-151, nas proximidades da empresa Harima, por motivo de ultrapassagens, teve início provocações mútuas entre o denunciado, que conduzia um veículo Palio, e a vítima, que dirigia uma camionete F-250. Em virtude das provocações, Hinselmen estacionou sua camionete no acostamento da rodovia, e o denunciado parou seu automóvel logo atrás. Hinselmen, armado com um facão, se dirigiu até o veículo Palio e desferiu um golpe contra o espelho retrovisor do veículo conduzido pelo policial, ferindo-o.

Deste local, os dois se dirigiram a Carambeí. Houve novo desentendimento, quando Hinselmen, ao descer do veículo em direção à Delegacia de Polícia Civil, foi ferido com tiro disparado por Magno.

O policial civil se apresentou à 13ª SDP, entregou a arma e foi afastado de suas funções até a conclusão da sindicância. Neste processo, Magno foi defendido pelos advogados Jorge Sebastião Filho e Pablo Milanese.

PUBLICIDADE

Recomendados