PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

AMCG avalia participação em diálogos no Congresso Nacional

Campos Gerais

19 de novembro de 2021 20:31

Allyson Santos


Relacionadas

Estado anuncia fechamento da cadeia pública de Castro

AMCG cobra mais segurança para as cidades da região

Palmeira altera atendimento para síndromes respiratórias

Carambeí promove reparos em galerias pluviais danificadas
São João do Triunfo destinará R$ 3 milhões para hospital
Tibagi investe mais de R$ 130 mil na área de educação
Ipiranga alinha estratégias para captação de recursos
Presidente da AMCG, Moacyr Fadel (Patriota), afirmou que a entidade acompanha de perto as ações conduzidas pela CNM Foto: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Movimento conduzido pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) ocorrerá em dezembro

A Associação dos Municípios dos Campos Gerais (AMCG) avalia a participação em uma série de debates que serão realizados no Congresso Nacional, em Brasília, nos dias 14 e 15 de dezembro. O convite repassado aos prefeitos da região foi feito pela Confederação Nacional de Municípios (CNM).

Entre as pautas que são prioridade do movimento municipalista defendido pela CNM no Legislativo estão: a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 23/2021 (parcelamento dos débitos previdenciários); a PEC 122/2015 (encargo vinculado ao repasse); a PEC 13/2021 (mínimo da educação em 2020); o Projeto de Lei (PL) 3339/2021 (regulamentação do Fundeb); e o PDL 290/2019 (Organizações Sociais fora do limite de pessoal), entre outras. 

O presidente da confederação, Paulo Ziulkoski, reforça que apenas com a participação dos gestores municipais será possível aprovar matérias essenciais aos Entes locais. “Todas as nossas grandes conquistas vieram a partir da articulação e mobilização do movimento. Brasília funciona na base de pressão”, afirmou.

O presidente da AMCG e prefeito de Castro, Moacyr Fadel (Patriota), afirmou que a entidade acompanha de perto as ações conduzidas pela CNM. “Temos várias PECs que são de interesse dos nossos municípios e outras que não concordamos”, afirmou o gestor em entrevista concedida ao Portal aRede nesta quinta-feira (18).

“Vamos lutar por aquilo que trará resultado para as cidades. Tenho mantido contato com o presidente Ziulkoski”, reforça Fadel. O presidente também afirmou que a AMCG ainda avalia a presença na mobilização que ocorrerá em Brasília.

“Se for necessário, pretendemos comparecer. Caso contrário, vamos nos manifestar mesmo à distância”, declarou o representante dos Campos Gerais. “Na AMCG sempre procuramos nos posicionar de maneira firme, objetiva e que traga resultados para os municípios e para a população”, reforça Fadel. O presidente também se mostrou favorável à ampliação do salário para os professores, que também está em pauta.


Propostas ligadas ao setor educacional estão incluídas

Entre as pautas municipalistas defendidas pela CNM, é possível destacar duas que estão diretamente atreladas à educação. Elaborada pela confederação,  a PEC 13/2021 retira as penalidades para os Municípios que não atingiram os 25% da Educação em 2020. A CNM trabalha para que a Câmara aprove o texto do Senado e crie PEC paralela excetuando a observação da subvinculação dos 70% dos profissionais para o ano de 2021. Já a proposta referente ao Piso do Magistério surge da necessidade de atualização da lei em função do novo Fundeb. Dentre outros pontos, a matéria altera o critério de atualização anual para o INPC.

PUBLICIDADE

Recomendados