PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Ciclistas percorrem 651 km na Rota do Rosário

Campos Gerais

11 de janeiro de 2022 10:30

Da Redação


Relacionadas

Potencial de consumo da região alcança R$ 27,9 bi

Castro organiza audiências para elaboração da LDO 2023

Prefeito Butina projeta mais de R$ 30 milhões para Tibagi

Carambeí debate estratégias para o setor de segurança
Jaguariaíva envia recursos para Hospital e revitaliza três UBS
Prefeito de Palmeira solicita manutenção da PR-151 ao DER
'Paraná Produtivo' inicia ações de desenvolvimento na região
PUBLICIDADE

Romeiros saíram do Santuário de Brotas, em Piraí do Sul

Ao longo destes sete dias, 25 ciclistas romeiros estão percorrendo 651 quilômetros da Rota do Rosário, um roteiro religioso que abrange parte dos Campos Gerais e do Norte Pioneiro. O ponto de partida foi o Santuário Diocesano de Nossa Senhora das Brotas, em Piraí do Sul, onde os ciclistas se concentraram e receberam uma bênção especial do padre Roberval Mulhstedt, reitor do santuário, antes de iniciar os 83 quilômetros até Jaguariaíva, primeira parte da rota. Os romeiros devem pedalar cerca de 100 quilômetros por dia, passando por Jaguariaíva, Arapoti, Pinhalão, Ibaiti, Ribeirão do Pinhal, Abatiá, Bandeirantes, Andirá, Barra do Jacaré, Santo Antônio da Platina, Jacarezinho, Ribeirão Claro, Joaquim Távora, Quatiguá e Siqueira Campos.

Em sua terceira expedição, o percurso termina no Santuário Igrejinha São João Batista, em Arapoti, dia 14, com a chegada prevista para a partir das 15h20. Os romeiros ciclistas seguem por estradas rurais visitando 16 santuários, três atrativos religiosos, entre igrejas e capelas, em 17 cidades. “Doze cidades são oficiais na Rota do Rosário. O evento movimenta todas as cidades. Onde tem hospedagem tem geração de renda, a comunidade fica toda envolvida para poder receber e aguardar os ciclistas e fortalece a Rota”, explica João Gouveia Cezar, consultor da Rota do Rosário. A expedição é organizada pela empresa Forma Ativa Sports, com apoio da coordenação da rota, da Associação Turística do Norte do Paraná (Atunorpi) e do Governo do Estado.

No sábado, os romeiros passaram pelo Santuário Santa do Paredão, onde almoçaram. Seguiram para o Santuário Senhor Bom Jesus da Pedra Fria, ainda em Jaguariaíva. Ali pernoitaram. No domingo, saíram às 7h para fazer 110 quilômetros entre Jaguariaíva e Ibaiti. Passaram pelo Santuário Igrejinha São João Batista, em Arapoti, Lavrinha, Pinhalão e Santuário Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, em Ibaiti. O dia terminou no Santuário Eucarístico do Sagrado Coração de Jesus, também em Ibaiti. Na segunda-feira, o percurso foi de Ibaiti até Abatiá (99 quilômetros), incluindo Pico Agudo, Vassoural, Triolândia, Santuário Divino Espírito Santo, em Ribeirão do Pinhal, e Igreja Matriz Nossa Senhora Aparecida, em Abatiá. O pernoite seria em Ribeirão do Pinhal.

Nesta terça-feira (11), o trajeto iria de Abatiá até Barra do Jacaré (99 quilômetros), saindo da Igreja Matriz Nossa Senhora Aparecida, em Abatiá, e passando pelo Santuário São Miguel Arcanjo, em Bandeirantes, Santuário Santa Terezinha do Menino Jesus e da Sagrada Face, Igreja dos Santos das Causas Impossíveis, em Andirá, Igreja Nossa Senhora Aparecida, em Barra do Jacaré, e chegada no Santuário Nossa Senhora das Graças, na zona rural de Santo Antônio da Platina. “O trajeto é para um grupo com bom condicionamento, que está acostumado a uma pegada longa como esta. Tem muita subida e descida, diferentes tipos de terreno, como areia e cascalho, então é preciso preparação. Além de conhecer um percurso de fé e com belas paisagens, a ideia é tornar a Rota do Rosário mais conhecida. Se repetir os anos anteriores, a experiência será muito boa. A primeira expedição teve seis pessoas, ela já está crescendo e muita gente retornou para fazer de novo este ano", comenta o coordenador-geral da expedição, Emerson Souza.

O reitor do Santuário de Nossa Senhora das Brotas, padre Roberval, lembra que a Rota do Rosário, ano a ano, vem se consolidando e que os santuários são espaços de acolhida e oração. "Ficamos felizes em receber os peregrinos e devotos de Nossa Senhora, isso fortalece a fé e a experiência com o sagrado. Já estamos na terceira edição deste evento e isso mostra que o trabalho vem se fortalecendo, porque as pessoas estão procurando esta peregrinação e fortalecer sua fé, seja para pedir ou agradecer a uma graça", conta o reitor.

Todos os ciclistas percorrem a rota uniformizados, e a expedição também conta com carros de apoio, estrutura de lanches e um veículo 4X4 para carregamentos das bagagens, além de lugares já pré-selecionados para hospedagem. O investimento é de R$1.300, que pode ser parcelado. No valor está incluso sete pernoites com café da manhã, seguro de vida, carro de apoio, lanche matutino e vespertino, uniforme (camisa ciclista e camiseta) e medalha de participação.

Rota


Criada em 2008, a Rota do Rosário é um dos roteiros do Turismo Religioso mais estruturados do Paraná. Seu trajeto forma exatamente um rosário, e inclui não apenas as igrejas católicas, mas que também divulga patrimônios culturais, históricos e arquitetônicos das regiões.

Além dos já citados, também integram o roteiro os santuários de Santa Terezinha do Menino Jesus (Bandeirantes); Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, Catedral de Nossa Senhora Imaculada Conceição e Nossa Senhora de Guadalupe (Jacarezinho); Santo Inocêncio (Tomazina); Diocesano do Sagrado Coração de Jesus (Ibaiti); Senhor Bom Jesus da Pedra Fria (Jaguariaíva); São Vicente Palloti (Ribeirão Claro); Divino Espírito Santo (Ribeirão do Pinhal); e Nossa Senhora das Graças (Santo Antônio da Platina).

A rota reflete sobre sete vocações ao longo do caminho: o despertar, o renovar, o confiar, o transfigurar, o permitir, o enfrentar e o lutar. Junto ao roteiro religioso, os romeiros aproveitam para conhecer outros atrativos da região, aliando a fé a experiências gastronômicas a belezas naturais e arquitetônicas.

Com informações: Assessoria de Imprensa.

PUBLICIDADE

Recomendados