PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Irati desativa antigo aterro e inicia o transbordo de lixo

Campos Gerais

19 de janeiro de 2022 16:14

Da Redação


Relacionadas

Criança de 9 anos morre vítima da covid em Imbituva

Jaguariaíva avança em obras de pavimentação nos bairros

Telêmaco já investiu R$ 33 mi em saúde desde o início do ano

Tibagi registra aumento da arrecadação no 1º quadrimestre
Canil Municipal de Castro fez 77 castrações em um mês
Irati terá audiência sobre a Nova Ferroeste nesta sexta
Piraí do Sul debate reajuste salarial para agentes de saúde
PUBLICIDADE

Resíduos gerados diariamente pela população serão destinadas para um aterro licenciado

O Complexo de Gestão Ambiental de Resíduos de Irati (GARI) já está em operação. O transbordo iniciou as atividades, resultando na desativação do antigo aterro sanitário. Desta forma, cumpre-se o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado entre o Ministério Público, Instituto Água e Terra (IAT) e a prefeitura municipal. 

A secretária de Ecologia e Meio Ambiente de Irati, Magda Adriana Lozinski, deudetalhes do processo. “A quantidade de resíduos gerados, diariamente, pela população é de, aproximadamente, 30 toneladas, que serão destinadas para um aterro licenciado, seguindo todas as normas técnicas e legislação para esta atividade”, detalha.

De acordo com a secretária, a empresa Eco Vale realizará a coleta de resíduos obedecendo o itinerário definido, realizando a disposição dos resíduos em caçambas apropriadoras ao transbordo, para que, então, a empresa Zero Resíduos faça o transporte até o local correto.  “Contamos com a colaboração da população para a melhor separação dos resíduos orgânicos e recicláveis, uma vez que o município fará o pagamento por quilo de lixo. Então, quanto mais pudermos separar os resíduos, menos custo será gerado. Desta maneira, a população e o município estarão agindo de uma forma, ambientalmente, correta”, aponta Magda.

O Complexo GARI é um projeto da administração municipal para dar destinação correta a todos os tipos de resíduos gerados pela população. A área, localizada junto ao Condomínio Industrial da Vila São João, abriga a unidade de transbordo do resíduo sólido e também contará com barracão de reciclagem, coleta verde, ecopontos, descarte de construção civil e recebimento de embalagens de agrotóxicos. Além da dar fim ao aterro sanitário, por meio do transbordo de resíduos, o GARI também tem o objetivo promover a ampliação da coleta de recicláveis, junto à geração de renda e empregos, e a criação de Ecopontos para o recolhimento de outros materiais.

Para a vice-prefeita Ieda Waydzik (PV), o projeto traz para a cidade de Irati um avanço ambiental de forte impacto. “O Complexo GARI será a maior solução para a administração do lixo, que também é um problema mundial. Nós, cidadãos e contribuintes, temos que ser responsáveis pelos nossos resíduos e esta será uma ação conjunta entre o poder público e toda a comunidade. Considero um avanço significativo, pois estamos cuidando da nossa cidade, protegendo as nossas nascentes, assim como todo o meio ambiente”, avaliou a gestora.


Iniciativa projeta novos empregos

O Complexo GARI também unirá empresas públicas e privadas para a reciclagem de resíduos em Irati. Por isso, o município também vislumbra oportunizar a criação de novos empregos com a demanda de trabalho nesta gestão de resíduos. “Além de termos empresas que fazem a reciclagem de materiais de construção e entulhos, criaremos muitos empregos e, consequentemente, geração de mais renda, além de resolvermos um problema ambiental que vem se prolongando há muito tempo. O projeto GARI, sem dúvida nenhuma, será um complexo de resíduos sólidos que vai atender a toda a necessidade da questão ecológica e do meio ambiente da nossa cidade”, observou o prefeito Jorge Derbli (PSDB).

Com informações da Assessoria de Imprensa

PUBLICIDADE

Recomendados