PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Inadimplência com o IPVA na região é de R$ 79,7 milhões

Campos Gerais

22 de junho de 2022 19:04

Fernando Rogala


Relacionadas

Deputado Aliel Machado destina recursos para Piraí do Sul

Tibagi alinha estratégias para atrair novas indústrias

Arrecadação federal atinge R$ 3 bi em apenas cinco meses

Cidades da Amcespar recebem planos de desenvolvimento
Estado anuncia mais de 350 casas para Jaguariaíva
Paraná cria Subgrupamento de Bombeiros na região de Irati
Premierpet inaugura fábrica na região na próxima semana
No total, a região tem 301,6 mil veículos passiveis de tributação Foto: Fernando Rogala
PUBLICIDADE

Do valor lançado de R$ 343,8 milhões neste ano nos Campos Gerais, 23,2% ainda não foram pagos pelos contribuintes


A inadimplência com o IPVA de 2022 na região dos Campos Gerais está próxima da casa dos 25%. Números revelados pela 3ª Delegacia Regional da Receita Estadual (3ª DRR) apontam que, até o momento, passado um mês do fim do prazo do pagamento da última parcela do imposto, os proprietários de veículos dos 22 municípios abrangidos pela regional devem R$ 79,7 milhões ao Governo do Estado. Esse valor corresponde a 23,2% do total lançado para a região com esse imposto em 2022 na região, de R$ 343,8 milhões. 

Frente a esse alto percentual, a delegada regional da Receita Estadual, Audrey Grubba, afirmou que uma ação conjunta está planejada para ser realizada no município de Ponta Grossa, onde há o maior valor devido na região: R$ 37,4 milhões, montante que corresponde a 23,4% do total devido no município. “Vamos fazer uma operação com dois pontos distintos aqui em Ponta Grossa, para tentar diminuir essa inadimplência, de forma a conscientizar a população. Vai ser uma ação conjunta da Receita Estadual com a Polícia Militar, com quem já tratamos e eles terão um grande contingente, e também com a Guarda Municipal de Ponta Grossa”, informou. Segundo ela, essa operação dupla será realizada no início de julho, com os dois locais em simultâneo, para abranger e conscientizar o maior número possível de pessoas.

O papel da Receita Estadual nessa ação, reforça a delegada, é justamente a conscientização à população sobre o quão é importante manter o pagamento dos impostos em dia, para que o cidadão tenha uma melhor qualidade de vida, a partir de uma melhor infraestrutura proporcionada pelo município. Afinal, o IPVA é um imposto que retorna em sua metade (50%) diretamente para o município onde o carro está emplacado. Ou seja: desses R$ 37,4 milhões devidos pelos contribuintes em Ponta Grossa, por exemplo, são R$ 18,7 milhões que deixaram de entrar para os cofres da prefeitura municipal. “A intenção não é multar, e sim conscientizar que o imposto pago retorna à população em forma de políticas públicas. E essa é a realidade: sem o dinheiro do imposto, como vai ser feito para custear a segurança, a educação, a saúde? Sem esses valores, nada disso é possível”, completa.

Para concluir, Audrey lembra que o Estado apresentou, recentemente, facilidades aos motoristas, como o pagamento parcelado dos impostos atrasados. “Agora é possível fazer o pagamento do imposto devido em até 12 vezes no cartão de crédito, então está bem facilitado”, destacou, reforçando ainda que o pagamento do IPVA é necessário para se obter o licenciamento do veículo (CRLV), item obrigatório – e sem o qual, o motorista pode ter o carro apreendido.


Valor devido varia entre 15% e 33% nos municípios da região

Até o momento, na região dos Campos Gerais, o município com o maior índice de inadimplência é Curiúva, onde dos R$ 3,7 milhões devidos pelos proprietários de 4,2 mil veículos, um total de R$ 1,16 milhão não foi pago, o que representa 33%. A 2ª maior inadimplência está em Jaguariaíva, de 30,7% (R$ 3,55 milhões devidos, de R$ 12 milhões lançados), seguida por Telêmaco Borba, de 29,6% (R$ 9 milhões devidos, de R$ 31,4 milhões). No outro extremo, a menor inadimplência está em Ipiranga, onde restam o pagamento de R$ 543,4 mil dos R$ 3,7 milhões devidos. Essa é a cidade com a menor inadimplência em 2021, que fechou em 5,7%.

PUBLICIDADE

Recomendados