Cresce o número de inadimplentes no Brasil

Cotidiano

28 de janeiro de 2019 09:25

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Anúncio sobre saques do FGTS fica para a próxima semana

 Concessões reduzem economia da reforma da previdência

MP denuncia irregularidades no fornecimento de uniforme

Paraná busca tecnologias em segurança pública
Campanha arrecada fundos para crianças carentes
Balança comercial paranaenses fecha semestre em alta
Confiança do empresário cresce em julho
Foto: Arquivo Agência Brasil
PUBLICIDADE

O país encerrou o ano com 62,6 milhões de inadimplentes, segundo dados divulgados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).Belo Horizonte (DINO) 25/01/2019    

Segundo informações fornecidas pelo Indicador deInadimplência da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em 2018 o Brasil encerrou o ano com um avanço de 4,41% de contas em atraso em comparação ao ano de 2017. Essa foi a maior elevação do últimos 6 anos, quando a inadimplência cresceu 6,8%.

O estudo realizado pela área de Decision Analytics da Serasa Experian em junho de 2018, revelou que as dívidas até o momento haviam alcançado um montante de R$ 273,4 bilhões, com média de quatro dívidas por CPF, totalizando R$ 4.426,00 por pessoa.

A taxa de inadimplência indica o percentual de operações financeiras com atraso superior a 90 dias em relação ao saldo total. Sendo assim, são considerados como inadimplentes, somente pessoas que possuem o pagamento em atraso com mais de 90 dias.  

O que acontece quando altas taxas de inadimplência atingem uma empresa?

No ano de 2018, a taxa de inadimplentes no mercado aumentou cerca de 1,98%, colocando cerca de 1,2 milhões de novos nomes a lista de devedores.

As empresas que não estão preparadas para implantar novos sistemas de pagamento e realizarem mudanças são afetadas diretamente. O primeiro a sentir o impacto é a estruturação do planejamento financeiro.

Caso a empresa não tenha realizado um planejamento financeiro com gerenciamento de crise, o investimento será afetado de forma direta, prejudicando o bom funcionamento do negócio.

Não tem como manter uma empresa sem o giro de recursos financeiros. Com as altas taxas de inadimplência, será necessário redirecionar o capital de um projeto para o outro. Caso não seja resolvido o problema de forma definitiva, os fundos se esgotarão.

Dívidas de pessoas físicas

Ao contrário do ano de 2017, onde houve uma queda de 2,7% no volume de dívidas em nome de pessoas físicas, o ano de 2018 apresentou uma alta de 2,75% no mesmo indicador.

Controle da inadimplência

Para contornar a inadimplência os gestores têm acompanhado o fluxo de caixa da empresa e investido em estratégias para a atração e satisfação do cliente, oferecendo descontos e benefícios para incentivar o pagamento das contas em dia.

A elaboração de relatórios mensais possibilitam a visualização da saúde financeira da empresa de forma simplificada. Através da interpretação desses relatórios, é possível identificar quais são os problemas que levam ao atraso dos pagamentos e acompanhar o índice de inadimplência para desenvolver estratégias para a diminuição dessa taxa.

Calcule o índice de inadimplência

O índice de inadimplência é calculado no varejo considerando os pagamentos que estão atrasados a mais de 90 dias e menos de 180. Para Realizar o cálculo de inadimplentes existe uma fórmula. Conforme será mostrada a seguir:

TI=T90/TT

Considere TI como taxa de inadimplentes, T90 como total de débitos pendentes com 90 a 180 dias de atraso e TTcomo o total cobrado durante o mesmo período.

Veja o exemplo de como calcular a taxa de inadimplência para facilitar o entendimento. Será usado o mês de dezembro de 2018 para o passo a passo:

- Passo 1: Selecione quais são os meses que em dezembro se encontram com mais de 90 dias de atraso e menos de 180 dias.

Junho (180 a 151 dias de atraso em relação a dezembro)

Julho (150 a 121 dias de atraso em relação a dezembro)

Agosto (120 a 90 dias de atraso em relação a dezembro)

- Passo 2: Selecione o valor total das cobranças emitidas com vencimento em cada um dos meses.

Junho: R$ 3.000,00

Julho: R$ 3.200,00

Agosto: R$ 4.500,00

Total: R$ 10.700,00 (TT)

- Passo 3: Selecione o valor total de inadimplência dos meses selecionados.

Junho: R$ 430,00

Julho: R$ 520,00

Agosto: R$ 610,00

Total: R$ 1.560,00 (T90)

- Coloque todos os números na fórmula:

TI=T90/TT

TI= 1.560,00/10.700,00

TI= 0,145 ou 14,5%

Sendo assim, a taxa de inadimplência no mês de dezembro de 2018 é de 14,5%.

O percentual encontrado é um indicativo do estágio de inadimplência em que a empresa se encontra. Taxas acima de 10% já apresentam riscos para a manutenção do negócio.

O que as empresas têm feito para contornar a inadimplência?

As empresas, no intuito de contornar a inadimplência buscam no mercado maneiras mais atrativas de pagamento para disponibilizar aos clientes, além da prática de atitudes simples que podem influenciar de maneira direta, são elas:

1. Pagamento recorrente

O pagamento recorrente é um estilo de transação financeira que acontece através da realização do débito automático no cartão de crédito do comprador, que autoriza a empresa a realizar a cobrança de forma direta seguindo a periodicidade acordada.

São características dessa forma de pagamento:

Otimização no tempo da cobrança: pagamento realizado de forma automática.

Comodidade: não há necessidade de conferência junto ao banco para confirmar as transações realizadas.

Redução da inadimplência: o recebimento é garantido, ocasionando a redução considerável de mais de 30% do índice de inadimplência;

Garantia de recebimento dos valores acordados: no dia do vencimento o dinheiro é debitado no cartão do cliente. A dívida passa a ser entre o banco e o cliente.

2. Descontos na antecipação de pagamentos

O pagamento antecipado é um recurso para atrair a atenção do consumidor. O oferecimento de descontos planejados é mais vantajoso do que o risco de uma cobrança não paga.  Transforme o seu fluxo de caixa em prioridade!

A opção de promoções e planos semestrais ou anuais, mesmo com os descontos, garantem o recebimento de uma quantidade considerável nos meses iniciais, permitindo o planejamento de gastos futuros.

3. Use lembretes

Uma estratégia bastante eficiente e de simples execução é o envio de SMS e e-mails avisando que o pagamento deve ser efetuado em 5 dias ou períodos menores, reforçando o dia do vencimento.

Alguns softwares de pagamento disponibilizam o recurso de envio de mensagens de forma automática, assim as empresas otimizam o seu tempo e evitam erros de cobrança indevidas.


PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede