Richa vira réu por suposto esquema nos pedágios

Cotidiano

11 de fevereiro de 2019 09:31

Da Redação

  • Comentários
    0 compartilhados
  • Imprimir

Relacionadas

Receita paga hoje as restituições do primeiro lote do IR

Dois meses após incêndio, Notre-Dame tem primeira missa

Bolsonaro diz que Brasil foi aceito como aliado extra-Otan

Professores do Estado anunciam greve para o dia 25
Marido de deputada federal é morto a tiros em Niterói
Joaquim Levy pede demissão da presidência do BNDES
Pai mata filho de quatro anos e comete suicídio no Paraná
Foto: Reprodução/Agência Brasil
PUBLICIDADE

Ex-governador do Paraná e supostos envolvidos no esquema são denunciados por propina em empresas de pedágio.

O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) virou réu por organização criminosa e corrupção passiva, após denúncia da Operação Integração. Além do tucano, outras nove pessoas também foram denunciadas. A denúncia foi expedida no dia 28 de janeiro e investiga pagamentos de propinas de empresas de pedágio no Paraná.

O Ministério Público Federal (MPF) aponta que houve um desvio de R$ 8,4 bilhões junto ao esquema, através do aumento de tarifas de pedágio do Anel de Integração, além de algumas obras rodoviárias que não foram realizadas. É a segunda vez que o ex-governador se torna réu: a primeira por um esquema que envolvia desvio de dinheiro, através de propina, em licitações da ‘Patrulha do Campo’ – na Operação Rádio Patrulha.

Além de Beto Richa, seu irmão Pepe Richa e outras oito pessoas, todos agentes públicos, foram denunciados. Outra esfera de denúncia envolve empresários envolvidos no esquema: são 23 réus, contando com ex-presidentes de concessionárias que teriam participado do esquema, além de funcionários da Agepar (Agência Reguladora do Paraná) e do DER (Departamento de Estradas de Rodagem).

Com informações do G1.

PUBLICIDADE
IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização
aRede aRede
aRede
aRede