BRDE apresenta resultados de iniciativas ligadas à inovação

Cotidiano

24 de agosto de 2019 22:10

Agência Estadual de Notícias


Relacionadas

Creche garante direitos de recém-nascidos na prisão

PR registra recorde de doações de órgãos para transplante

90,9% dos paranaenses estão endividados

Casal é preso por agredir filho adotivo; criança está na UTI
Jovem que morreu atropelado teria festa de noivado hoje
Paulo Martins quer votar 2ª instância antes do recesso
Geladeira pode representar até metade da conta de luz
Ações do Banco foram apresentadas ao ministro Marcos Pontes Foto: Agência Estadual de Notícias
PUBLICIDADE

Banco é o principal repassador dos recursos da linha Finep Inovacred e também apoia a inovação por meio de dois Fundos de Investimentos em Participações

 

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) atingiu a marca de R$ 700 milhões em financiamentos a projetos com foco em inovação na Região Sul. Cerca de 35% deste valor foi investido em empresas paranaenses.

O banco, administrado por Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, investe no setor através do programa de desenvolvimento BRDE Inova, criado em 2013. Somente em 2018, R$ 187,2 milhões foram investidos pelo programa em projetos inovadores.

Em reunião com o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, o diretor de Operações do BRDE, Wilson Bley Lipski, destacou a relevância da atuação do Banco e o seu papel de indutor do desenvolvimento econômico focado em inovação.

“O Paraná é um dos estados mais inovadores e o desenvolvimento da economia paranaense passa pelo setor. A missão do BRDE é oferecer crédito para que esses projetos possam sair do papel e ofereçam soluções à população”, afirmou Lipski.

Mesmo atuando somente em três estados, o BRDE é o principal repassador da linha Inovacred, da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). O banco é responsável por 34% do total de operações da linha, praticamente o dobro do 2° colocado.

A Finep Inovacred financia projetos de empresas com receita operacional bruta de até R$ 90 milhões. Os recursos devem ser aplicados no desenvolvimento ou aprimoramento de novos produtos, serviços e processos. Também são financiáveis inovações em marketing ou organizacional.

O Banco também investe em inovação por meio dos Fundos de Investimento em Participações e é cotista de dois FIP’s: o Criatec 3 e o Fundo Anjo, ambos criados pelo BNDES e destinados ao investimento em startups.

O Criatec 3 já investiu em 17 startups. No Paraná, o FIP apoiou a Neomode. A empresa desenvolveu uma plataforma que conecta vendas online com o estoque das lojas físicas. A integração faz com que os estabelecimentos comerciais, por meio de seus estoques locais, possam atender pedidos feitos pela internet, atuando como minicentros de distribuição.

No Fundo Anjo, o BRDE é o segundo maior cotista, com um aporte de R$ 15 milhões, atrás apenas do BNDES. Estima-se que o fundo tenha um capital integrado de R$ 100 milhões para estimular o desenvolvimento de startups e empresas inovadoras em fase inicial.

A expectativa do BRDE, segundo Lipski, é que o investimento em inovação seja recorde em 2019. “O principal ano do BRDE, em se tratando do apoio à inovação, foi 2018, quando tivemos um excelente desempenho. Neste ano, nossa meta é financiar, juntando todas as áreas da economia, R$ 1 bilhão no Paraná. O financiamento à inovação deve ser um dos que mais vão contribuir para este total”, disse.

PUBLICIDADE

Recomendados

IVC Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização