Novas alíquotas do INSS passam a valer neste mês

Cotidiano

02 de março de 2020 23:00

João Guilherme Castro


Relacionadas

Anvisa libera importação de 6 milhões de doses da Sinovac

Saúde reforça a importância da vacinação contra a poliomielite

MC Kallebe morre afogado no Rio de Janeiro

Cartórios do PR já registraram mais de 3.700 uniões homoafetivas
Projeto de colégio agrícola estadual é finalista de prêmio
Portos do Paraná lança cartilha de proteção ao boto-cinza
Entra em vigor em novembro novo regulamento para rádio
Mudanças foram aplicadas em março por conta da espera de três meses após a Reforma da Previdência Foto: Cristiano Barbosa
PUBLICIDADE

Mudanças foram aplicadas em março por conta da espera de três meses após a Reforma da Previdência

Com a aprovação da Reforma da Previdência em 2019, a mudança no cálculo para a contribuição ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) passa a valer a neste mês. De acordo com as novas normas, quem ganha menos contribui menos, e quem ganha mais, contribui mais.

A mudança reduz a contribuição de trabalhadores do setor privado (Regime Geral) que ganham até um salário mínimo e torna a alíquota progressiva para as demais faixas salariais. Com isso, um trabalhador que receba R$ 1.500 pagará 7,5% sobre R$ 1.045 (salário mínimo) e mais 9% sobre os R$ 455 restantes. No total a contribuição neste exemplo será de R$ 119,33, que corresponde a 7,96% do salário.

Segundo o advogado tributarista, Daniel Prochalski, a contribuição ao INSS influencia diretamente no Imposto de Renda. “Aqueles que passarão a ter desconto menor no INSS pagarão mais no Imposto de Renda e também o contrário”, destaca. 

Apesar das mudanças o tempo de contribuição permanece o mesmo. Outro destaque é que as mudanças não afetam os contribuintes individuais.

As alíquotas progressivas ficaram da seguinte forma: 7,5% até um salário mínimo; 9% para quem R$ 1.045,01 R$ até 2.089,60; 12% para R$ 2.089,61 até R$ 3.134,40 e 14% para  R$ 3.134,41 até R$ 6.101,06 

PUBLICIDADE

Recomendados