Dono do Madero diz que mortes não podem parar o país

Cotidiano

24 de março de 2020 08:21

Da Redação


Relacionadas

Mesmo com estiagem, Sanepar auxilia combate a incêndios

Tribunal do Júri condena casal pela morte de três filhos no PR

Boletim agropecuário registra avanço no plantio de milho

Gravações da justiça comprometem Robinho
Estado libera R$ 1,85 bi para ações nos municípios
Servidora do TJPR é suspeita de desviar dinheiro e objetos
Procon fez 88 mil atendimentos online na pandemia
PUBLICIDADE

Junior Durski criticou o fechamento do comércio na maior parte do país e disse que os efeitos serão piores após o ‘lockdown’

O empresário curitibano Júnior Dorski, dono da rede de restaurantes Madero, gravou um vídeo afirmando que o Brasil não pode parar por causa do coronavírus. Segundo ele, a situação será muito pior se o país parar com o ele chama de “lockdown”. “Vamos chorar cada uma dessas pessoas que morrerem com o coronavírus. Mas não podemos (parar) por conta de 5 mil ou 7 mil pessoas”, disse ele, citando uma previsão de mortes pela covid-19.

 “O Brasil não pode parar dessa maneira, o Brasil não aguenta. Tem que ter trabalho, as pessoas têm que produzir, têm que trabalhar”, disse ele, em um vídeo em seu perfil no Instagram. “As consequências que vamos ter no futuro vão ser muito maiores que as pessoas que vão morrer agora com o coronavírus”.

“Vamos chorar cada uma dessas pessoas que morrerem com o coronavírus. Vamos cuidar dos idosos, é nossa obrigação. Mas não podemos (parar) por conta de 5 mil ou 7 mil pessoas”, afirmou o empresário. “Eu sei que é muito grave. Mas muito mais grave é o que o acontece no Brasil. Em 2018, morreram mais de 57 mil pessoas assassinadas. Mais de 6 mil por desnutrição”.

Com informações do Bem Paraná.

PUBLICIDADE

Recomendados