PR se reúne com empresários para discutir retomada

Cotidiano

12 de maio de 2020 20:30

Agência Estadual de Notícias


Relacionadas

Sesa confirma 2.380 novos casos e 34 mortes pela covid-19

Defesa Civil levanta danos da passagem de ciclone em SC

Mais de 70 mil imóveis seguem sem energia no Paraná

Mega-Sena sorteia R$ 27 milhões neste sábado
Governo destinará R$ 500 mi para proteger a Amazônia
Estado envia 2 mil máscaras de acrílico para servidores
Paraná segue sem registro de novos casos de sarampo
Ratinho Junior apresentou panorama econômico do Estado e disse que o plano de transformar o Paraná em um hub logístico segue ativo. Foto: Agência Estadual de Notícias
PUBLICIDADE

Ratinho Junior apresentou panorama econômico do Estado e disse que o plano de transformar o Paraná em um hub logístico segue ativo.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior fez uma videoconferência nesta terça-feira (12) com o grupo YPO (Young Presidents Organization) e apresentou um panorama das principais ações do Estado na área da saúde e as perspectivas de retomada da economia depois do pico da Covid-19.

Ratinho Junior disse que o Paraná não instituiu quarentena e que manteve a indústria e o agronegócio entre as atividades essenciais, com reflexos positivos na economia. O funcionamento de setores produtivos, destacou ele, está sob toda a orientação sanitária da Secretaria de Estado da Saúde.

“A pandemia gerou novas perspectivas em todo o mundo. É um cenário preocupante, estamos trabalhando com cautela. Mas o Paraná tem conseguido fazer um bom planejamento e está passando por esse momento de forma organizada”, disse o governador. “Estamos prudentes porque o vírus se propaga de forma muito rápida, mas a nossa indústria não parou, o setor de alimentos também não e os portos trabalharam full time”.

O governador falou ainda sobre o pacote de auxílio social e de apoio aos empreendedores paranaenses que estão sentido os reflexos econômicos da pandemia. “Para aqueles que precisaram parar ou que tiveram perdas lançamos um pacote de crédito de mais de R$ 1 bilhão para manutenção dos empregos”, destacou.

Ratinho Junior demonstrou que mesmo com reflexos da pandemia, o Estado manteve operações importantes em funcionamento. Ele ressaltou que a Ferroeste (Estrada de Ferro Paraná Oeste S.A.) e a Portos do Paraná fecharam abril com as maiores movimentações da história das companhias em apenas um mês, chegando a 160 mil toneladas transportadas por ferrovias e 5,5 milhões de toneladas de cargas no setor portuário.

Esse resultado é explicado pela regularidade das operações no corredor de exportação com apoio no campo e nas indústrias, além de caminhoneiros, servidores portuários e maquinistas dos trens. No acumulado dos quatro meses do ano, 11,8 milhões de toneladas de granéis sólidos foram movimentados em Paranaguá e Antonina, 17% a mais que o registrado no ano passado. O destaque é para a soja: 5,8 milhões de toneladas no quadrimestre.


Planejamento

“O Paraná vinha num ritmo muito forte: R$ 24 bilhões em investimentos privados, produção industrial acima da média nacional, desemprego em queda”, salientou Ratinho Junior. “Nosso planejamento a médio e longo prazo é fazer do Paraná um hub logístico na América do Sul. Queremos manter esse modelo”.

Ele também explicou que o Estado planeja retomar a operação de voos regionais, manter a política de austeridade fiscal e reestruturação do setor público, além de dar velocidade a projetos como a nova ferrovia entre Paranaguá a Maracaju (MS) e do ramal ferroviário Cascavel a Foz do Iguaçu. O Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica, Ambiental e Jurídica (EVTEA-J) dessas obras vai começar ainda neste mês.

Segundo estimativas do Governo do Estado, uma retomada mais acelerada da economia deve acontecer a partir de agosto. A expectativa é que essa aceleração gradual no fim de 2020 e 2021 aconteça de maneira integrada com novos programas sociais e a consolidação do Descomplica (rural, empresarial e na construção civil).

O aquecimento econômico também passa pelos investimentos em infraestrutura e pelas concessões de quatro aeroportos (Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina e São José dos Pinhais, inclusive com a garantia da terceira pista), a nova licitação do Anel de Integração com 4,1 mil quilômetros e a segunda ponte entre o Brasil e o Paraguai em Foz do Iguaçu.

O governador afirmou que o Estado dispõe de R$ 600 milhões para serem investidos em obras nos municípios, e autorização legislativa para captar um empréstimo de R$ 1,6 bilhão para grandes obras. Além disso, nos próximos meses devem ser iniciados projetos que somam R$ 750 milhões oriundos dos acordos de leniência entre o Ministério Público Federal e concessionárias de rodovias.


Saúde

O governador também apresentou as estratégias da saúde e disse que o Paraná tem se destacado entre aqueles que mantêm certa regularidade na curva de casos pelo volume de testes já realizados e a estruturação da nova Unidade de Apoio ao Diagnóstico Covid-19, com capacidade para alcançar 5,6 mil exames RT-PCR (padrão gold) por dia, além de 230 mil testes rápidos distribuídos aos 399 municípios.

Ele citou a contratação de 549 leitos de UTI exclusivos para pacientes do sistema público, a construção de três hospitais regionais (Guarapuava, Ivaiporã e Telêmaco Borba) e investimentos em novas estruturas nos hospitais universitários de Cascavel, Maringá, Londrina e Ponta Grossa, formando uma rede de atendimento com capacidade de cobertura regionalizada.


EaD 

A manutenção das atividades na rede escolar foi outro tema do encontro. O secretário de Educação e do Esporte, Renato Feder, explicou as modalidades das aulas com apoio da televisão aberta, da plataforma Google Classroom e suas 350 mil salas virtuais de orientação e atendimento, e o aplicativo Aula Paraná, que congrega todas as informações necessárias para os estudantes.

Segundo o secretário, 100% dos professores e 60% dos alunos já aderiram, com expectativa de alcançar 90% em maio entre os estudantes. “A educação virtual vai ser uma revolução, principalmente a educação pública. Ainda temos alguns desafios de acesso, de metodologia e de como captar a atenção exclusiva do aluno. Mas estamos animados”, acrescentou Feder.


YOP

O YOP está presente em 130 países e conta com 27 mil membros, com faturamento anual de US$ 9 bilhões. No Paraná são 62 empresários que empregam 19 mil pessoas.

PUBLICIDADE

Recomendados