TSE decide por cota feminina em eleições de diretórios

Cotidiano

20 de maio de 2020 11:39

Agência Brasil


Relacionadas

Estado entrega de 12 mil cestas básicas para indígenas

Prazo para envio da declaração do IR termina nesta terça

Estados que tiveram lockdown reduziram mortes por Covid-19

Aparelho detecta carga de coronavírus no ambiente
MP pede lockdown em todas as cidades grandes do Paraná
Estado alcança 600 mortos pelo novo coronavírus
Inscrições para curso de Especialização terminam quarta
Regra vale para diretórios nacionais, estaduais e municipais Foto: José Cruz/Agência Brasil
PUBLICIDADE

Tribunal Superior Eleitoral define que partidos devem reserva cota de 30% para candidaturas de mulheres para disputa de diretórios para estimular participação feminina

Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta segunda-feira (19) que a cota de 30% de candidaturas de mulheres nas eleições também deve ser aplicada pelos partidos nas disputas pelos cargos em diretórios nacionais, regionais e municipais.

A questão foi decidida a partir de uma consulta formulada pela deputada federal Lídice da Mata (PSB-BA). A parlamentar pediu ao TSE que esclareça se o mínimo de 30% de candidaturas femininas estabelecido pela Lei Eleitoral (Lei 9.504/1997) também poderia ser aplicado nas eleições para os cargos de direção dos partidos.

Ao julgar o caso, os ministros seguiram entendimento da relatora e presidente do TSE, Rosa Weber. Para a ministra, embora as legendas tenham autonomia, há uma lacuna legislativa sobre cotas de gênero para os cargos de direção e a Justiça Eleitoral deve estimular a participação feminina na politica.

“Largo campo permanece a percorrer rumo à reversão desse cenário. A presente deliberação, indiscutivelmente, faz parte dessa trilha de profundas reflexões e transformações por que passa a promoção da igualdade de gênero para correção da histórica disparidade entre as representações feminina e masculina no Parlamento”, afirmou a relatora.

O voto foi seguido pelos ministros Luís Roberto Barroso, Edson Fachin, Og Fernandes, Luis Felipe Salomão, Tarcísio Vieira e Sergio Banhos. 

PUBLICIDADE

Recomendados