Britânicos que produzem vacina farão testes com 10 mil pessoas

Cotidiano

22 de maio de 2020 13:00

Agência Brasil


Relacionadas

Governo destinará R$ 500 mi para proteger a Amazônia

Estado envia 2 mil máscaras de acrílico para servidores

Paraná segue sem registro de novos casos de sarampo

MEC anuncia repasse de R$ 200 milhões para universidades
Paraná confirma mais 1.840 casos e 22 mortes por Covid-19
Evento debate tendências do comportamento e consumo
MP-PR estipula R$ 100 mil em multa para festa clandestina
Um teste inicial, que começou em 23 de abril, já aplicou a injeção em mais de mil voluntários, com idade variando entre 18 e 55 anos Foto: Reprodução/Governo de São Paulo
PUBLICIDADE

Vacina experimental contra covid-19 recebeu recursos de US$ 1,2 bi 

A Universidade de Oxford e a AstraZeneca planejam recrutar cerca de 10 mil adultos e crianças do Reino Unido para testes de uma vacina experimental contra o novo coronavírus, que recebeu um aporte de mais de US$ 1,2 bilhão dos Estados Unidos (EUA) nessa quinta-feira (21).

Hoje, a universidade informou que instituições parceiras de todo o Reino Unido começaram a recrutar até 10.260 adultos e crianças para ver como o sistema imunológico humano reage à vacina e qual a segura dela.

Um teste inicial, que começou em 23 de abril, já aplicou a injeção em mais de mil voluntários, com idade variando entre 18 e 55 anos. A Oxford disse que as fases dois e três acrescentarão pessoas de 56 anos e mais velhas, além de crianças de 5 a 12 anos.

"A velocidade com que esta nova vacina avançou para testes clínicos de fase adiantada é um testemunho da pesquisa científica pioneira da Universidade de Oxford", disse Mene Pangalos, executivo da AstraZeneca.

A empresa já firmou parceria com o Reino Unido e os EUA para produzir a vacina em escala industrial, antecipando-se à confirmação de que ela funciona e é segura.

PUBLICIDADE

Recomendados