Estado apoia edital que busca soluções para ferrovias

Cotidiano

22 de maio de 2020 20:30

Agência Estadual de Notícias


Relacionadas

Aula Paraná facilita registro de presença dos estudantes

Paraná estima safra de grãos acima de 40 mi de toneladas

PR estima safra de grãos acima de 40 milhões de toneladas

Saúde alerta para riscos da Covid-19 em fumantes
Secretaria Estadual lança na segunda o 'Canal do Professor'
PRF adota gato arremessado de carro e autua condutor
Governo prorroga prazo para alistamento militar
O objetivo é criar formas novas de conexão das ferrovias com as cidades. Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

O objetivo é criar formas novas de conexão das ferrovias com as cidades.

O Governo do Estado, por meio da Superintendência Geral de Inovação da Casa Civil, é um dos entes públicos que apoiam um edital nacional idealizado pela Rumo Logística para atrair soluções de segurança para as ferrovias. Serão distribuídos até R$ 200 mil para startups, empresas ou empreendedores que queiram desenvolver mecanismos para eliminar e prevenir atropelamentos e abalroamentos (colisões com veículos) e novas ideias para as linhas férreas dos perímetros urbanos. As inscrições são gratuitas e estarão abertas até o dia 26 de junho.

A Rumo tem sede em Curitiba, opera a maior malha ferroviária do País e possui uma parceria com o Governo do Estado no transporte de cargas no trecho entre Cascavel, Guarapuava e Paranaguá. O convênio firmado com a Ferroeste (empresa estatal) no começo deste ano vai duplicar a capacidade de escoamento do Oeste do Paraná.


Ampliar conexão

O objetivo do edital é criar formas de ampliar a conexão das ferrovias com as cidades. A participação do Governo do Estado se insere no conceito de tríplice hélice, que indica que o ecossistema de inovação se desenvolve mais rapidamente com o envolvimento da administração pública, do setor privado e da academia.

“A segurança é fundamental para o desempenho das atividades de transporte e logística, principalmente diante da necessidade de ampliar a malha ferroviária e sua utilização no País, levando em consideração também o crescimento das cidades e desse convívio. É preciso criar soluções para expandir essa operação”, afirmou Henrique Domakoski, superintendente de Inovação da Casa Civil. Ele destacou que a sociedade precisa buscar novas alternativas para casar infraestrutura e circulação depois da pandemia.

“Estamos levando para a sociedade uma discussão sobre um trânsito mais seguro, questão primordial, que impacta todas as ferrovias do país”, complementou Roberto Rubio Potzmann, diretor de Tecnologia da Rumo. “Fizemos investimentos de grande magnitude em questões que envolvem a segurança na ferrovia. O edital é mais uma iniciativa focada em soluções para que a incidência de atropelamentos e abalroamentos seja reduzida”.

A prefeitura de Curitiba e a Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação também apoiam a iniciativa.


Edital

O edital é dividido em quatro filtros e vai selecionar as quatro melhores iniciativas. A primeira etapa é de submissão de ideias. No dia 1º de julho serão selecionadas e divulgadas dez ideias para evitar abalroamentos e dez para impedir atropelamentos.

A segunda etapa é de mentorias técnicas e alterações no escopo dos projetos, resultando em cinco soluções de cada problemática. A fase de desenvolvimento e prototipação ocorrerá na sede da Rumo no Paraná e envolve imersão presencial, demo week (semana de amostra) e demo day (dia da apresentação). As quatro melhores iniciativas assinarão os contratos de aceleração, podendo alcançar até R$ 200 mil – 30% serão injetados na assinatura e 70% após a etapa de imersão.

A penúltima fase acontecerá em Florianópolis e contará com auxílio do laboratório da Hards, uma das principais aceleradoras do País, e da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc). Essa etapa envolve design, modelos de negócio, diagnósticos, desenvolvimento de sistema, validação em campo e treinamento. Os projetos serão finalizados em dezembro.

Pelo edital, cada equipe deverá ter, no mínimo, três membros e, no máximo, cinco. Os requisitos de participação para pessoas físicas e jurídicas são estar em situação regular no Brasil ou País origem e não possuir qualquer restrição com órgãos públicos na data da inscrição e durante todo o programa. Os responsáveis pelos projetos também devem ter 18 anos completos na data da inscrição.

PUBLICIDADE

Recomendados