Ranking aponta Aliel como destaque na Educação

Cotidiano

28 de maio de 2020 16:31

Da Redação


Relacionadas

Ação integrada na divisa PR/SP prendeu quase mil pessoas

Mega-Sena pode pagar R$ 36 milhões neste sábado

Paraná vai antecipar campanha contra pólio e multivacinação

Primeira onda da covid-19 deve acabar em outubro, diz estudo
Empresas apostam na consultoria para superar a crise
Passageira idosa desembarca e é atropelada por ônibus
Agência alerta sobre a chegada de sementes misteriosas no PR
Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Levantamento analisou ações dos parlamentares na área do Ensino superior e Ciência e Tecnologia; Aliel está entre os 10 mais bem avaliados

Um levantamento técnico divulgado esta semana pelo Observatório do Legislativo Brasileiro (OLB) apontou os deputados federais mais comprometidos com o Ensino superior e Ciência e Tecnologia. O deputado federal paranaense Aliel Machado (PSB) está entre os dez mais bem avaliados do ranking. Aliel é o sexto colocado entre os 427 parlamentares avaliados.

De acordo com o Observatório, que faz parte do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP-UERJ), no momento em que a crise aguda na área da saúde e da gestão pública causada pela pandemia do COVID-19 reafirma a importância do investimento em ciência e tecnologia, é de suma importância entender o comportamento da Câmara em relação a tais assuntos.

O resultado é mais um ranking temático dos parlamentares. Entre os projetos mais importantes analisados estão os referentes à criação de novas universidades federais, aquele que instituiu o Código Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação e o da reforma do FIES.

Para Aliel, figurar entre os melhores colocados no ranking, só reforça a luta em defesa da Educação. “Estamos desde o primeiro ano de mandato na Comissão de Educação, debatendo e propondo avanços para a área. Desde a juventude, quando participamos da elaboração do Plano Nacional de Educação, atuamos ativamente dos debates. E na Câmara, continuamos a defender a Educação, os professores e o ensino público de qualidade para todos”, reforçou ele.

O estudo, segundo o OLB, avaliou como ações positivas as que favoreceram maior investimento público no setor, institucionalização de mecanismos regulatórios e desburocratização da agenda científica. A definição dos critérios e as análises realizadas foram acompanhadas pela Associação Brasileira de Ciência Política, em uma colaboração diante dos desafios atuais para o Ensino Superior e a Ciência e Tecnologia do país.

O levantamento, de acordo com o Observatório, baseia-se na computação de um conjunto de atividades legislativas (pareceres, emendas, discursos e votos), a partir da qual se produz um indicador que expressa tanto o engajamento de cada deputado e deputada no processo legislativo, quanto a valência de sua atuação – ou seja, ela é favorável ou contrária nos temas analisados. Esse indicador é então reescalonado na forma de uma nota que varia de -10 a +10. Quanto mais ele participar de forma ativa na tramitação das proposições, mais próxima será sua nota dos dois extremos, 10 (em caso de atuação favorável) ou -10 (em caso de atuação desfavorável).

PUBLICIDADE

Recomendados