Governo estuda quarta parcela do auxílio emergencial

Cotidiano

01 de junho de 2020 15:30

Dhiego Tchmolo


Relacionadas

Covid-19 matou 57 mil pessoas desde março no Brasil

Argentinos monitoram nuvem de gafanhotos

Nova geração da Fiat Strada é lançada no Brasil

Paraná registra recorde com 1,1 mil contaminados
Governo anuncia parceria para produzir vacina contra covid
Hospitais e instituições sociais recebem doações no Paraná
Quina de São João irá sortear hoje R$ 140 milhões
Inicialmente, o beneficiário tem direito a até três parcelas do auxílio Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Valor atual de R$ 600 pode ser reduzido. Legislativo defende mesmo valor e permanência do auxílio por mais tempo

O governo federal anunciou na última semana (28) que estuda a possibilidade de uma quarta parcela do auxílio emergencial para os prejudicados pela pandemia. O valor de R$ 600 ainda será revisto, podendo ser reduzido. 

Inicialmente, o beneficiário tem direito a até três parcelas do auxílio. Podem receber a ajuda os trabalhadores informais, integrantes do Bolsa Família e pessoas de baixa renda. Até o momento, cerca de 59 milhões de pessoas já receberam o dinheiro, de acordo com a Caixa Econômica Federal. Cada parcela custa aos cofres públicos quase R$ 50 bilhões de reais. 

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu a permanência do auxílio emergencial por mais tempo e com o mesmo valor de R$ 600. 

O governo estuda, ainda, outras medidas para a retomada da economia após a pandemia do novo coronavírus, como o programa Carteira Verde e Amarela, medida que flexibiliza direitos trabalhistas para facilitar contratações. 

Informações da Agência do Rádio Mais.

PUBLICIDADE

Recomendados