Pesca nos rios Ivaí e Piquiri está liberada a partir desta sexta

Cotidiano

26 de junho de 2020 20:30

Agência Estadual de Notícias


Relacionadas

Universidades federais realizam 1,2 mil pesquisas sobre Covid-19

Centro Juvenil realiza concurso paranaense de desenho

Paraná reforça equipes que atuam no combate à Covid-19

Nova lei estadual proíbe posse, uso e fabricação de cerol
Motorista de carreta com soja morre após tombamento
Fechar supermercados aos domingos pode ser equívoco, diz Apras
PR fecha parceria para produzir vacina contra a Covid
A restrição da pesca continua em algumas bacias mais afetadas pelas estiagem Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

A restrição da pesca continua em algumas bacias mais afetadas pelas estiagem

O Instituto Água e Terra, por meio da Portaria nº 188/2020, libera a pesca nos rios Ivaí e Piquiri a partir dessa sexta-feira (26). A permissão se dá em razão das últimas chuvas que tornaram os dois rios navegáveis, possibilitando a dispersão dos cardumes.

A restrição continua nas bacias dos rios Cinzas, Tibagi, Pirapó, Laranjinha, São Francisco Falso e Verdadeiro, Jordão e todos seus afluentes diretos, afetados pela crise hídrica.

A proibição tem como objetivo proteger as espécies de peixes. A baixa vazão dos rios facilita a pesca furtiva, a predação e a extração de peixes jovens e adultos reprodutores.


Lagos e represas

De acordo com a Portaria IAT nº 177/2020, publicada no último dia 10, também está permitida a pesca em ambientes lênticos, ou seja, nos lagos e represas do Estado.

Esse novo dispositivo alterou apenas o inciso 3° do artigo 1° da Portaria IAT nº 157/2020, publicada em maio, que proíbe a pesca em diferentes modalidades nas águas sob competência do Paraná. A liberação nos demais rios serão estabelecidas de acordo com a situação de atingimento da cota hídrica que permita a dispersão de cardumes e navegabilidade.


Penalidades 

Os infratores que desrespeitarem as normativas estão sujeitos às penalidades previstas na Lei federal nº 9.605/98 e demais dispositivos que regulam a atividade pesqueira. A multa varia de R$ 700,00 por pescador e mais R$ 20,00 por quilo ou unidade de peixe pescado, além do perdimento dos petrechos.


Fiscalização 

Fiscais do Instituto Água e Terra, da Polícia Ambiental, Civil e Militar irão reforçar a fiscalização para garantir que não ocorra descumprimento da Portaria.

PUBLICIDADE

Recomendados