MP pede lockdown nas grandes cidades; PG fica fora

Cotidiano

29 de junho de 2020 16:24

Da Redação


Relacionadas

Vendas do comércio no Paraná crescem em junho

Pais acreditam que qualidade do ensino caiu na pandemia

Vendas no comércio paranaense crescem em junho

TJPR confirma condenação de acusados
IBGE estima alta de 3,8% na safra de 2020, em julho
Apresentadores pré-candidatos devem se afastar de rádio e TV
Preço das terras no Paraná cresceu cerca de 12% este ano
Os procuradores de justiça do MP em Londrina lideraram a iniciativa de pedido de lockdown Foto: Vinicius Gomes/TEM
PUBLICIDADE

Promotores de Saúde Pública do Paraná assinaram conjuntamente a ação, depois de classificar o momento como "gravíssimo"

O Ministério Público do Paraná (MP-PR), ajuizou uma ação pedindo à justiça que decrete lockdown nas principais cidades do estado do Paraná, como Curitiba, Londrina, Maringá e Cascavel, por conta do aumento dos casos de covid-19 nestes municípios. Os promotores de Saúde Pública do Paraná assinaram conjuntamente a ação, depois de classificar o momento como "gravíssimo".

Os procuradores de justiça do MP em Londrina lideraram a iniciativa de pedido de lockdown nas principais cidades do Paraná. Além disso, registraram um pedido ao judiciário para anular o decreto do governador Ratinho Jr (PSD), que autoriza a reabertura de alguns setores não essenciais da economia.

O Governo do Paraná informou que ainda não foi notificado da ação e aguarda a manifestação do Poder Judiciário a respeito do assunto.

“Enquanto o discurso e orientação normativa não se atrelarem a medidas práticas garantidoras de distanciamento e de isolamento social, os índices de pacientes diagnosticados e de óbito somente irão aumentar”, diz trecho do documento.

Além disso, o MP requer a suspensão temporária de cirurgias eletivas em todas as regiões do estado, com exceção apenas para casos considerados como urgentes. Isso se deve ao desabastecimento de medicamentos utilizados no combate à covid-19.

A ação pede que, caso a justiça acate o pedido, seja estabelecida uma multa diária de R$ 10 mil se o governo descumprir o decreto. Valor que seria revertido à saúde. 

Com informações do site TemLondrina 

 

PUBLICIDADE

Recomendados