Presidente vai sobrevoar áreas atingidas por ciclone em SC

Cotidiano

03 de julho de 2020 11:40

Agência Brasil


Relacionadas

Receitas médicas de uso contínuo terão prazo maior

Entidades recebem R$ 1 mi em recursos indicados por Aliel

Garota de 4 anos morre vítima do novo coronavírus

Banco Central anuncia que lançará cédula de R$ 200
Exonerado major do Sistema de Proteção da Amazônia
Lei prorroga prazo para reuniões e assembleias gerais
Petrobras diz que já produz nova gasolina
O objetivo é levar ajuda humanitária, mas também apoiar a reconstrução das cidades. Foto: Reprodução/ Agência Brasil
PUBLICIDADE

Pelo menos 11 pessoas morreram em decorrência do fenômeno natural

O presidente Jair Bolsonaro vai sobrevoar, neste sábado (4), as regiões de Santa Catarina mais prejudicadas pelo ciclone bomba na última terça-feira (30). Pelo menos 11 pessoas morreram em decorrência do fenômeno natural. O anúncio da visita  foi feito nessa quinta-feira (2), durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, participou da transmissão e explicou que o objetivo é levar ajuda humanitária, mas também apoiar a reconstrução das cidades.

Bolsonaro também comentou sobre outros assuntos. Entre eles, o projeto de lei das fake news, em tramitação no Congresso Nacional. O texto base foi aprovado no Senado e ainda não tem data para ir à votação na Câmara dos Deputados.

O presidente afirmou que vai vetar o texto se entender que o teor contraria a liberdade de expressão. E disse que pode fazer uma consulta pública sobre o PL.

Jair Bolsonaro contou que ficou sensibilizado com uma médica de Porto Seguro pedindo cloroquina para tratar pacientes com Covid-19 e determinou o envio de 40 mil doses do medicamento. De acordo com ele, o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, confirmou que o remédio chega nesta sexta-feira (3).

E o ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello determinou que Pazuello explique, até a primeira semana de agosto, a orientação para que médicos usem cloroquina e hidroxicloroquina no combate à pandemia. A intimação faz parte de uma arguição de descumprimento de preceito fundamental movida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde.

PUBLICIDADE

Recomendados