TCP deve investir R$ 2,5 bi no porto de Paranaguá

Cotidiano

22 de julho de 2020 14:53

Da Redação


Relacionadas

Engie doa R$ 500 mil para ajudar hospitais no Paraná

Multas por crimes ambientais somam R$ 2,5 mi em oito dias

Pesquisa comprova que covid-19 é também doença vascular

RodoNorte integra campanha de conscientização sobre queimadas
Menino morre após choque elétrico na região de Irati
Incerteza da economia cai pelo quinto mês consecutivo
Em dois meses, 5.300 cães e gatos são castrados no Paraná
Ratinho Junior afirmou que o projeto é importante para a economia do Estado Foto: AEN
PUBLICIDADE

Iniciativa contribui para que o Paraná se torne o principal hub logístico da América do Sul

O governador Carlos Massa Ratinho Junior conheceu nesta quarta-feira (22) um projeto elaborado pela empresa Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), que planeja investir cerca de R$ 2,5 bilhões nos próximos anos no Porto de Paranaguá e gerar 10 mil empregos.

A empresa pretende instalar um parque logístico, com capacidade para atender 200 caminhões simultaneamente, um armazém de 20 mil metros quadrados, linhas férreas e um novo pátio de automóveis. Além disso, projeta a construção de um novo terminal de fertilizantes e quer aumentar a captação de cargas do Paraguai.

Ratinho Junior afirmou que o projeto é importante para a economia do Estado, pois gera mais empregos no Litoral, e contribui para consolidar a meta de transformar o Paraná no principal hub logístico da América do Sul. Segundo ele, a proposta apresentada amplia o campo de atuação da empresa, que já opera o maior terminal de contêineres do País, com capacidade para movimentar 2,5 milhões de TEUs por ano.

Segundo dirigentes da empresa, os novos investimentos vão reduzir o custo operacional para os clientes e atrair mais exportadores do Sul e Sudeste para Paranaguá. O projeto também garante segurança para a movimentação de veículos para as próximas décadas, tornando a operação no Paraná ainda mais atrativa.

A apresentação do plano de investimento do TCP ocorreu por videoconferência e contou com a participação do chefe da Casa Civil, Guto Silva, do secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, e do diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

MODERNIZAÇÃO - O governador afirmou que o Estado investe em dragagem para aprofundar o calado de Paranaguá, o que possibilita acesso de navios maiores, e que os portos paranaenses seguirão recebendo aportes para a modernização das operações nos próximos anos, para acompanhar os investimentos da iniciativa privada.

“O Paraná tem uma parceria de longa data com a TCP e esse aporte que ainda está sendo estudado vai aumentar a capacidade de escoamento da produção brasileira, além de facilitar a integração regional”, afirmou Ratinho Junior. “Estamos constantemente pensando em melhorar a logística e o setor portuário é fundamental dentro dessa estratégia”.

OBRAS - O governador também disse que o Governo do Estado vai investir R$ 600 milhões em obras de infraestrutura no Litoral. O recurso será disponibilizado depois da liberação do financiamento de R$ 1,6 bilhão captado junto a um consórcio de bancos. Ele afirmou ainda que Secretaria da Fazenda estuda modernizações no regime tributário para ampliar a competitividade das empresas que atuam nos portos paranaenses.

“Todo investimento nos portos são bem-vindos. Nosso dever é proporcionar condições marítimas. Vamos aumentar o calado em Paranaguá. Também conquistamos a autonomia administrativa. O mercado entende que o Porto de Paranaguá ampliou a movimentação e está se modernizando”, acrescentou o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

As obras de manutenção continuada da profundidade dos Portos do Paraná reúnem investimento público total de R$ 403 milhões ao longo dos próximos cinco anos. Além das áreas do Porto de Antonina e dos berços do Porto de Paranaguá, as atividades do programa serão realizadas no canal de acesso e bacias de evolução de Paranaguá (áreas Alfa, Bravo e Charlie).

TCP – O TCP administra o maior terminal de contêineres da América do Sul e emprega 1,2 mil pessoas no Litoral. Desde março de 2018, a empresa integra o portfólio da China Merchants Port Holding Company (CMPort), maior operador de portos públicos da China. O portfólio global abrange operações em seis continentes, 26 países e regiões, e 50 portos. Em 2019 a CMPort movimentou mais de 110 milhões de TEUs.

A empresa também foi responsável pelo projeto executivo da Av. Atílio Fontana, uma das principais vias de acesso ao Porto de Paranaguá, como parte da expansão das atividades no município. O investimento foi de R$ 1 milhão. A doação do projeto facilita o processo de licitação por parte do Governo do Estado.

PRESENÇAS – Participaram da videoconferência o diretor-geral da Casa Civil, Felipe Flessak; o deputado federal Stephanes Júnior; o assessor especial da Governadoria para obras de Infraestrutura, Luiz Fagundes; o CEO do TCP, Tony Shi; e o diretor comercial do TCP; Thomas Lima.

 

PUBLICIDADE

Recomendados