Mesquita é iluminada em solidariedade ao povo libanês

Cotidiano

10 de agosto de 2020 10:20

Da Redação


Relacionadas

Engie doa R$ 500 mil para ajudar hospitais no Paraná

Multas por crimes ambientais somam R$ 2,5 mi em oito dias

Pesquisa comprova que covid-19 é também doença vascular

RodoNorte integra campanha de conscientização sobre queimadas
Menino morre após choque elétrico na região de Irati
Incerteza da economia cai pelo quinto mês consecutivo
Em dois meses, 5.300 cães e gatos são castrados no Paraná
PUBLICIDADE

Ato foi realizado em apoio ao país, que sofreu uma tragédia na última semana com 158 mortos e mais de três mil feridos

A Mesquita Omar Ibn Al-Khattab foi iluminada na noite de sábado (08). O ato foi realizado em solidariedade ao povo libanês, que sofreu uma tragédia na última semana com 158 mortos e mais de três mil feridos. 

A iniciativa foi promovida pelo Centro Cultural Beneficente Islâmico (CCBI) de Foz do Iguaçu. O Sheikh Oussama El Zahed, o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, a vereadora Anice Gazzaoui, o presidente da Acifi, Faisal Ismail, o presidente do CCBI, Mohamad Baha Rahal e outras lideranças da comunidade árabe estiverem presentes.

A cúpula da Mesquita foi iluminada com uma imagem da bandeira do Líbano. Por quase duas horas, o templo religioso islâmico ganhou as novas cores vermelha e branca, que se misturaram a luz verde das torres. 

A projeção de luz com bandeira libanesa será mantida na Mesquita nos próximos dias das 18h30 ás 22h30 como forma de reiterar o apoio ao país que sofreu uma tragédia no último dia 4, quando ocorreu uma explosão no porto de Beirute, capital do país. Cerca de 300 mil pessoas estão desabrigadas.

" Quero agradecer a todos que vieram participar deste ato. Essa iniciativa vem mostrar nosso sentimento de apoio ao povo libanês, que foi afetado por essa explosão no dia 04. Estamos tristes pelo ocorrido, porque temos muitos parentes e amigos lá. Felizmente, não tivemos nenhum caso de vítima ou ferido daqui de nossa cidade, já que muitos libaneses foram passar férias no Líbano", destacou a maior liderança religiosa da Mesquita.

O Sheikh Oussama El Zahed, de origem libanesa, também criticou as autoridade do país. " Meu país, o Líbano, vive um momento político que merece repúdio, por conta do abandono ao povo, e os casos de corrupção".

" Foz do Iguaçu está consternada com o fato ocorrido em Beirute. O Líbano é como se fosse uma extensão de nossa cidade, porque temos milhares de famílias libanesas que ajudaram a construir Foz do Iguaçu. Que o povo libanês possa receber nossas orações neste momento de sofrimento", afirmou o prefeito Chico Brasileiro.

A vereadora Anice Gazzaoui, também libanesa, manifestou solidariedade ao povo do país atingido pela tragédia. " É um momento de sofrimento que exige muita oração para as famílias que perderam seus entes ou que estão hospitalizados. Temos a agradecer o apoio dos brasileiros, em especial dos iguaçuenses, para que o povo libanês supere essa tragédia". 

Foz do Iguaçu tem a segunda maior concentração de árabes e descendentes do Brasil, atrás de São Paulo, com cerca de 20 mil pessoas, boa parte formada por libaneses.

Informações Assessoria de Imprensa

PUBLICIDADE

Recomendados