Corpo de recém-nascido é exumado pela Polícia Civil

Cotidiano

21 de setembro de 2020 17:10

Da Redação


Relacionadas

Anvisa libera importação de 6 milhões de doses da Sinovac

Saúde reforça a importância da vacinação contra a poliomielite

MC Kallebe morre afogado no Rio de Janeiro

Cartórios do PR já registraram mais de 3.700 uniões homoafetivas
Projeto de colégio agrícola estadual é finalista de prêmio
Portos do Paraná lança cartilha de proteção ao boto-cinza
Entra em vigor em novembro novo regulamento para rádio
O procedimento faz parte de uma investigação de um possível caso de estupro de vulnerável envolvendo uma criança de 12 anos de idade, que deu à luz a um bebê. Foto: Reprodução/Canal4
PUBLICIDADE

O procedimento faz parte de uma investigação de um possível caso de estupro de vulnerável envolvendo uma criança de 12 anos de idade, que deu à luz a um bebê.

Policiais Civis da Delegacia da Mulher de União da Vitória, com apoio do Instituto Médico Legal – IML estiveram no início da tarde desta segunda-feira, dia 21 de setembro, fazendo a exumação do corpo de um recém-nascido em General Carneiro. O procedimento tem como objetivo uma investigação de um possível caso de estupro de vulnerável.

De acordo com informações levantadas pela reportagem do Canal 4 TV junto a Delegacia da Mulher, no dia 14 de agosto deste ano, uma criança de 12 anos de idade deu à luz a um bebê, o qual acabou falecendo no dia 15 de agosto, um dia depois do nascimento por motivos não divulgados.

O recém-nascido foi sepultado no cemitério do bairro São João e a Polícia abriu uma investigação, entendendo, que a criança que deu a luz teria sido vítima de um crime. Durante as investigações foi levantada a informação de quem seria o homem que teve relação sexual com a criança que teria concedido o ato, porém, pelo fato de ser menor de 14 anos, independente do consentimento, a situação trata-se de um crime sexual.

De acordo com o Doutor Douglas Possebon e Freitas, delegado responsável pela Delegacia da Mulher e que está a frente das investigações, o homem envolvido já cedeu material para exame de DNA. Este exame tem como objetivo comprovar a paternidade do envolvido que nega os fatos. Segundo o delegado, caso comprovado, ele será indiciado pelo crime de Estupro de vulnerável.

Com informações do portal Canal4. Leia mais aqui.

PUBLICIDADE

Recomendados