Demanda das empresas por crédito caiu em agosto

Cotidiano

28 de setembro de 2020 12:20

Agência Brasil


Relacionadas

Brasil e EUA concluem acordos para facilitar investimentos

Missão japonesa fará imagens em 8K de Marte

Portos do Paraná já receberam navios de 48 nacionalidades

Bolsonaro participa da abertura de fórum econômico
Luis Arce assume vitória na Bolívia antes do resultado
Educação retorna aulas extracurriculares
Criminosos sequestram trem na zona norte do Rio de Janeiro
A indústria foi o segmento que apresentou maior queda, de 7,8%. O comércio teve a menor retração, de 5,6%. Foto: Reprodução/Pexels
PUBLICIDADE

A indústria foi o segmento que apresentou maior queda, de 7,8% 

A demanda das empresas por crédito caiu 6,0% em agosto na comparação com o mesmo mês do ano passado, de acordo com o Indicador da Serasa Experian. Esse foi o segundo mês consecutivo de queda. Na análise por porte, as micro e pequenas empresas registraram o maior recuo (6,1%), seguidas das médias (- 4,7%) e grandes (-1,5%).

A indústria foi o segmento que apresentou maior queda, de 7,8%. O comércio teve a menor retração, de 5,6%. O Norte foi o único que teve elevação (0,3%) e a maior queda foi verificada no Sudeste (-8,1%), seguido de Sul (-4,5%) e Nordeste e Centro-Oeste com recuo de 4,3% cada.

Para o economista da Serasa Experian Luiz Rabi, as incertezas sobre a prorrogação do auxílio emergencial e sobre as reformas administrativas e tributária colocaram os empreendedores em compasso de espera. “Além das dúvidas sobre a prorrogação ou não do auxílio emergencial, o governo também não deu uma sinalização clara sobre as reformas. Essas incertezas deram uma esfriada no ânimo dos empresários que preferiram aguardar o desenrolar desses temas”, avaliou.

Ele destacou que o auxílio emergencial foi essencial para a sobrevivência das micro e pequenas empresas. “Na dúvida sobre a continuidade, os empreendedores decidiram postergar a busca por crédito. Acredito que esse também foi o sentimento dos médios e grandes empresários”, disse Rabi.

PUBLICIDADE

Recomendados