Quatro bairros de PG terão escolas militares em 2020

Cotidiano

27 de outubro de 2020 09:58

Da Redação


Relacionadas

Alep aprova Refis para empresas do PR afetadas pela pandemia

Concentração de dióxido de carbono aumenta na pandemia

Educação confirma prova para seleção de professores PSS

Piloto de voo retorna para buscar senhora que estava com mãe na UTI
Matrícula para rede estadual começa nesta terça-feira
Governo decreta estado de calamidade no Amapá
Paraná tem saldo de 136 mil empresas abertas até outubro
O Colégio Estadual José Elias da Rocha será um dos locais que funcionará no novo modelo Foto: Cristiano Barbosa
PUBLICIDADE

Funcionarão no novo modelo as escolas estaduais José Elias da Rocha, Professor Colares, Frei Doroteu de Pádua e General Antônio Sampaio

O governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou nesta segunda-feira (26), no Palácio Iguaçu, que o programa de colégios cívico-militares será implementado em 215 colégios estaduais de 117 municípios de todas as regiões do Estado a partir de 2021. O investimento direcionado a cerca de 129 mil alunos será de cerca de R$ 80 milhões. É o maior projeto do País nessa área.

“Esse programa será transformador para o Paraná. Para entregar a melhor educação do Brasil precisamos ampliar os projetos e trazer novas ideias”, afirmou Ratinho Junior. Ele destacou que a média das escolas cívico-militares no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) é 20% maior do que na educação tradicional. “Esse é um modelo vencedor. Se é vencedor, queremos ofertar essa modalidade. A implantação será feita de forma democrática”.

A nova modalidade de ensino funcionará com gestão compartilhada entre militares e civis em escolas do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e no Ensino Médio. As aulas continuarão sendo ministradas por professores da rede estadual, enquanto os militares serão responsáveis pela infraestrutura, patrimônio, finanças, segurança, disciplina e atividades cívico-militares. Haverá um diretor-geral e um diretor-auxiliar civis, além de um diretor cívico-militar e de dois a quatro monitores militares, conforme o tamanho da escola.

Os colégios foram selecionados pela Secretaria de Educação e do Esporte e haverá uma consulta à comunidade escolar a partir desta terça-feira (27) para oficializar a indicação. Um dos diferenciais é o aumento da carga horária curricular, com aulas extras de português, matemática e valores éticos e constitucionais.

A lei foi aprovada neste ano pela Assembleia Legislativa do Estado, mas o programa está sendo planejado desde o ano passado.


Ponta Grossa terá quatro escolas neste formato educacional

A partir do ano que vem, o município de Ponta Grossa terá quatro colégios cívico-militares no novo projeto educacional desenvolvido pelo Governo do Estado. Conforme anúncio feito nesta segunda-feira (26) pelo Governador Ratinho Junior (PSD) e pelo deputado Hussein Bakri (PSD), funcionarão nesse modelo as escolas estaduais José Elias da Rocha, Professor Colares, Frei Doroteu de Pádua e General Antônio Sampaio. Em Palmeira, outro município de atuação de Bakri nos Campos Gerais, será contemplado o Colégio São Judas Tadeu

PUBLICIDADE

Recomendados