Paulo Martins critica ocupação da SEED em Curitiba

Cotidiano

30 de outubro de 2020 18:47

Dhiego Tchmolo


Relacionadas

Alep aprova Refis para empresas do PR afetadas pela pandemia

Concentração de dióxido de carbono aumenta na pandemia

Educação confirma prova para seleção de professores PSS

Piloto de voo retorna para buscar senhora que estava com mãe na UTI
Matrícula para rede estadual começa nesta terça-feira
Governo decreta estado de calamidade no Amapá
Paraná tem saldo de 136 mil empresas abertas até outubro
"Não é pela Educação. Nunca foi. É pelo poder e por ideologia", citou o parlamentar. Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Líder do PSC no Paraná falou sobre ação de sindicato que ocorreu na manhã desta sexta-feira

Integrantes do Sindicato dos Professores do Estado do Paraná ocuparam nesta sexta-feira (30/10) a Secretaria estadual de Educação. O protesto é contra o plano do governo paranaense de implementar escolas cívico-militares no estado. Para o deputado federal Paulo Eduardo Martins (PSC-PR), é preciso fazer a leitura correta da ação da APP- Sindicato : “Voltar às aulas, não pode, mas fazer aglomeração, em ambiente fechado para atacar o governo, pode. Não é pela Educação. Nunca foi. É pelo poder e por ideologia”.

De acordo com o projeto do governo Ratinho Junior, já aprovado na Assembleia Legislativa, a ideia é implantar a partir de 2021, o programa cívico militar em 216 colégios de 117 cidades paranaenses. O programa prevê uma gestão compartilhada entre civis (professores) e militares, que cuidariam, principalmente da questão da segurança, infraestrutura e disciplina.

Uma consulta pública foi aberta para ouvir os pais, alunos, responsáveis e funcionários.  O processo termina nesta sexta-feira, quando o resultado deve ser anunciado pelo governo. 

Informações da assessoria de imprensa.

PUBLICIDADE

Recomendados