IMM oferta cursos online em prisões do Amazonas

Cotidiano

21 de novembro de 2020 14:30

Fernando Rogala


Relacionadas

Prova para contratação de professores é adiada

Brasil vai testar vacina contra HIV

Boletim confirma mais 2.628 casos de Covid-19 no Paraná

Japão pode proibir veículos a gasolina em meados de 2030
Turismo de natureza é foco para a retomada do setor no Paraná
Adesão ao programa Brasil M.A.I.S já está disponível
Caixa inicia operações com recursos do Fungetur
IMM expandiu atividades para o Amazonas Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Mais de 250 cursos online serão oferecidos para os reeducandos do sistema prisional do estado

Com seus projetos chegando a todo Brasil, na última sexta-feira (13), o Instituto Mundo Melhor (IMM), em parceria com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) do Amazonas, inaugurou sua plataforma educacional no sistema prisional do estado. A iniciativa oferece mais de 250 cursos de curta duração para os reeducandos das unidades prisionais cogeridas pelo consórcio CGPAM, os Centros de Detenção Provisória de Manaus (CDPMs) 1 e 2.

Os projetos do Mundo Melhor estão presente em treze estados brasileiros, sendo eles Amapá, Ceará, Maranhão, Pernambuco, Alagoas, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Paraíba, Mato Grosso do Sul e agora Amazonas. A presidente do IMM, Cirlei Simão Pauliki, destaca o quão é necessário contribuir com o desenvolvimento social em todas suas esferas, inclusive colaborando na ressocialização dos detentos e também com a expansão do conhecimento.

Para o diretor do CDPM 2, Jean Carlo Oliveira, a plataforma chegou no momento certo e irá contribuir bastante no trabalho de ressocialização que é feito na unidade. “A Seap tem buscado trabalhar bastante a ressocialização dos internos, e essa é mais uma via por onde poderemos trabalhar isso. Temos certeza que, com essa nova plataforma, a unidade vai poder disponibilizar mais oportunidades aos internos, contribuindo cada vez mais na reintegração deles à sociedade”, disse.

Para a implantação desse projeto foram necessários meses de preparação, incluindo a construção de dois laboratórios de informática, um em cada unidade. Os laboratórios têm 15 computadores cada, dispostos em formato de “U”, para que todas as telas possam ser monitoradas. Além disso, a conexão disponível é de navegação restrita e acessa apenas a plataforma educacional, não permitindo que os alunos naveguem pela internet para outros fins.

Inicialmente, 60 reeducandos formarão as primeiras quatro turmas do Mundo Melhor, com acesso aos cursos nas áreas de Administração, Desenvolvimento Pessoal e Comportamental, Concursos, Produtos Comercializáveis, Culinária, Vendas e Empreendedorismo, Gestão e Liderança, Informática e Tecnologia, Línguas, Logística e Mecânica. A cada 12 horas de curso, um dia é remido da pena, de acordo com o artigo 126 da Lei de Execução Penal, Lei nº 7.210/1984, na atual redação, dada pela Lei nº 12.433/2011.

“A intenção é que, ao longo dos anos, os cursos estejam disponíveis para todos os apenados que possuem perfil para ingressar no tratamento penal desenvolvido pela unidade, ou seja, estejam fora do perfil considerado perigoso para si e para os outros”, explica o gerente de ressocialização do consórcio CGPAM, Alexandre Calixto.

Além dos reeducandos, Calixto explica que, a cada trimestre, alguns dos cursos também serão oferecidos para os servidores e colaboradores das duas unidades prisionais, incentivando a capacitação contínua e trazendo diferenciais para eventuais promoções e mudanças de cargos. “Chegamos a um modelo que se encaixou à realidade do sistema do Amazonas e que temos certeza que será amplamente utilizado por todos”, comemora Calixto.


As informações são da assessoria de imprensa

PUBLICIDADE

Recomendados