Empresas protocolam pedidos de reajuste do pedágio

Cotidiano

26 de novembro de 2020 19:50

Gabriel Sartini


Relacionadas

Governo divulga calendário de pagamentos do Bolsa Família

Preço da cesta básica subiu em todas as capitais em 2020

Nascidos em maio já podem sacar Auxílio Emergencial

Concerto virtual marca 60 anos da Orquestra Sinfônica Nacional
Caderneta de poupança completa 160 anos
Paraná recebe projeto de habitação permanente
Copel instala 2,8 mil km de rede trifásica no campo
Concessionárias já fizeram pedido à Agência Reguladora do Paraná; documentos são analisados e resposta é esperada para dezembro Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Concessionárias já fizeram pedido à Agência Reguladora do Paraná; documentos são analisados e resposta é esperada para dezembro

Membros do Conselho Técnico da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar) já começaram a analisar os pedidos de reajuste protocolados pelas concessionárias de pedágio que atuam nas rodovias paranaenses. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da entidade, mas os valores de aumento no preço do pedágio não são divulgados antecipadamente pela Agência – os índices só são levados ao público após a decisão dos conselheiros.

A assessoria não informou quais empresas já protocolaram o pedido de reajuste e qual a data limite para que uma decisão seja tomada pela Agepar, mas a expectativa é que o anúncio seja feito até a próxima semana, seja ele favorável ou contrário ao aumento no valor do pedágio nas rodovias do Estado. Isso porque, tradicionalmente, o reajuste entra em vigor no dia 1º de dezembro de cada ano. Em 2019, o aumento começou a valer apenas no dia 3.

A análise dos pedidos deve ser exclusivamente técnica e não é esperado que o acordo de leniência firmado entre Ministério Público Federal (MPF) e concessionárias seja levado em conta na decisão da Agepar. Esse acordo reduziu, por exemplo, os valores cobrados nas praças da Rodonorte em 40% até meados de outubro, quando as tarifas voltaram a ser cobradas integralmente. No ano passado, por exemplo, o aumento foi concedido às empresas que fizeram o acordo com o MPF (Rodonorte, Ecovia e Ecocataratas) e, após a decisão, foi concedido o desconto no valor já reajustado.

Em nota, a CCR Rodonorte informou que “conforme determinado pelo Contrato de Concessão, submeteu a verificação dos cálculos do reajuste tarifário anual ao DER/PR, dentro dos termos e índices inflacionários previstos no contrato, aguardando neste momento a homologação”. Já a Caminhos do Paraná, que também atua nos Campos Gerais, informou que as tarifas devem ser reajustadas em 7,6042% . “Até a presente data, apesar do encaminhamento tempestivo das informações, aguardamos a confirmação pelo Poder Concedente e pelo órgão de regulação quanto aos novos valores das tarifas, sendo que somente após estes trâmites é que os mesmos poderão ser informados com exatidão, vez que dependem de ratificação ou retificação dos entes nominados”, destaca nota da empresa.


Como é calculado?

As concessionárias apresentam em novembro os pedidos de aumento no valor da tarifa ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER), que encaminha o processo à Agepar. A agência reguladora, normalmente, tem cinco dias úteis para fazer a análise dos documentos protocolados pela empresa para avaliar se há ou não condições de conceder o reajuste pedido pelas empresas. A decisão da Agepar sobre os valores do pedágio deve ser divulgada até o meio da próxima semana.

PUBLICIDADE

Recomendados