PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Plano de Forças-Tarefas quer reduzir índices de violência

Cotidiano

21 de janeiro de 2021 13:00

Brasil 61


Relacionadas

Polícia Federal apreende 154 kg de crack no Paraná

Nova embaixadora do Haiti visita o Paraná

Primeiro caso de covid-19 no Brasil completa um ano

Ratinho faz reuniões de emergência com prefeitos
Caixa lança nova linha de crédito no setor imobiliário
Núcleo da UFPR adia prova do concurso da PM do Paraná
Órgãos se unem para combater fura-filas da vacinação no PR
De acordo com a pasta, o plano será dividido em fases e prevê ações de inteligência, análise, monitoramento e investigação de organizações criminosas. Foto: Reprodução/Daniel Estevão/MJSP
PUBLICIDADE

Iniciativa vai contar com atuação conjunta, integrada e coordenada entre polícias da União e dos estados

O Ministério da Justiça e Segurança Pública lançou nessa semana (19) o Plano de Forças-Tarefas SUSP de Combate ao Crime Organizado. A ação do governo federal visa reduzir indicadores de violência e crimes no Brasil, como homicídios, latrocínios, tráfico de drogas e roubos a bancos, cargas e veículos. A iniciativa prevê ação conjunta entre as polícias da União e dos estados. 

De acordo com a pasta, o plano será dividido em fases e prevê ações de inteligência, análise, monitoramento e investigação de organizações criminosas. Na primeira fase, os estados que apresentaram os maiores acréscimos em números absolutos de homicídio entre janeiro e setembro de 2020 serão convidados a aderirem ao plano, de forma voluntária. Na lista, estão Ceará, Paraná, Pernambuco, Bahia, Maranhão e Rio Grande do Norte.

Depois dessa etapa, a adesão será facultada aos estados onde estão localizadas penitenciárias federais. Essa segunda fase está prevista para começar em junho. As demais unidades da federação poderão aderir ao plano a partir de janeiro de 2022. 

Entre as ações do Plano de Forças-Tarefas estão o isolamento de líderes de organizações criminosas no sistema prisional e a prevenção e a repressão da criminalidade violenta praticada por esses grupos. As forças-tarefas serão coordenadas pela Polícia Federal. 

PUBLICIDADE

Recomendados