PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Governo cria Cadastro Nacional das Organizações Religiosas

Cotidiano

22 de janeiro de 2021 11:40

Agência Brasil


Relacionadas

Custo da construção sobe 1,07% em fevereiro

Spray desenvolvido pelo Senai elimina covid-19 em superfícies

Confiança do consumidor sobe em fevereiro, diz FGV

Câmara aprova MP que facilita compra de vacinas contra covid
Confiança da construção recua 0,5 pontos em fevereiro
Enem tem hoje segundo dia de reaplicação de provas
Trabalho digital cresce 5 vezes e ameaça direitos trabalhistas
O objetivo do governo é ampliar o conhecimento do poder público e incentivar o diálogo com as mais diversas organizações religiosas existentes no país e suas lideranças. Foto: Reprodução/Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
PUBLICIDADE

A medida entra em vigor em 1º de fevereiro 

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos criou o Cadastro Nacional das Organizações Religiosas. A portaria foi assinada ontem (21) pela ministra da pasta, Damares Alves, em celebração ao Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa e publicada hoje (22) no Diário Oficial da União. Mas a medida só entra em vigor em 1º de fevereiro.

O objetivo do governo é ampliar o conhecimento do poder público e incentivar o diálogo com as mais diversas organizações religiosas existentes no país e suas lideranças. Além disso, identificar violações de direitos e possibilitar ações de promoção e defesa da liberdade de religião, de crença e de exercício de cultos.

“A ferramenta também irá conter informações complementares coletadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística sobre a religião da população brasileira, além de subsidiar estudos e pesquisas para a junção de evidências para a formulação de políticas públicas e servir como instrumento de gestão das ações desenvolvidas pelo ministério”, informou, em nota.

O cadastro será voluntário e servirá para criar uma base de dados sobre organizações religiosas que colaboram ou que estejam interessadas em colaborar com o atendimento de públicos vulneráveis e em forças-tarefa de socorro às vítimas de situações de emergência ou de calamidade pública.

De acordo com o texto publicado, a proteção de dados pessoais está garantida e será preservada, sempre que possível, a anonimização dos dados. O prazo e a forma do cadastramento serão definidos por uma instrução normativa da Secretaria Nacional de Proteção Global em até 60 dias.

PUBLICIDADE

Recomendados