PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Crédito consignado é uma alternativa de ajuda financeira

Cotidiano

13 de fevereiro de 2021 17:32

Da Redação


Relacionadas

Brasil terá em maio 4 milhões de doses do Covax Facility

Paraná ultrapassa 900 mil casos do coronavírus

Mundo chega a 3 milhões de mortes por covid-19

Autoridades interrompem festa com 50 pessoas no Paraná
Estado repassa novos insumos para combater a covid-19
Mortes de gestantes por covid-19 dobram em 2021
Caixa sorteia hoje R$ 40 mi da Mega-Sena acumulada
Aposentados e pensionistas podem solicitar o crédito com taxas que não ultrapassam 1,80% ao mês Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Aposentados e pensionistas podem solicitar o crédito com taxas que não ultrapassam 1,80% ao mês

A variedade nas ofertas de empréstimos para pessoas físicas é muita. Cada uma varia segundo a necessidade e os recursos com que o cliente conta e, dependendo disso, será a conveniência do produto ou não. Assim, por exemplo, quem tem algum imóvel à disposição, pode contratar um crédito hipotecário e pagar taxas de juros mais baixas por causa da diminuição das probabilidades de inadimplência.

Dentre as alternativas de ajuda financeira para quem estiver precisando fazer frente a algum gasto extraordinário, por exemplo, o crédito consignado aparece como uma das mais convenientes, com custos e taxas bem baixas se comparadas com outros tipos de empréstimos pessoais. O principal atrativo desta modalidade é que as parcelas são descontadas diretamente da folha de pagamento do salário ou benefício. Isto faz com que a cobrança do crédito seja mais simples para os bancos e instituições financeiras reduzindo custos e percentuais de inadimplentes.

É claro que para poder contratar o consignado, o requerente precisa ser um trabalhador com carteira assinada (seja do setor público ou privado) ou ser aposentado ou beneficiário de alguma das prestações do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Atualmente o crédito consignado INSS pode ser até o mais barato do mercado, ainda que os valores e taxas mudam dependendo do banco. Mesmo assim, a própria lei estabelece que a taxa da modalidade oferecida para os aposentados e pensionistas do Instituto não pode ultrapassar de 1,80% mensal. Também com o intuito de proteger a situação financeira dos contratantes, a legislação estabelece um limite de 30% da renda que pode ser comprometida com empréstimos deste tipo. A verdade é que ainda fica disponível mais 5% da renda para ser comprometida mediante operações com cartão de crédito consignado.

Uma vez contratado, os valores de pagamento são descontados automaticamente do benefício. Como já foi falado, o banco aumenta as suas margens de cobrança, e a baixa no risco de o cliente não cumprir com os pagamentos devidos também acaba diminuindo o valor das taxas. Os principais bancos do país oferecem o consignado com tarifas convenientes dentro do autorizado: a menor taxa atualmente é do Banco Santader (1,42% ao mês), seguem Caixa Econômica Federal (1,51% ao mês), Banco do Brasil (1,58% ao mês), Facta (1,62% ao mês), Bradesco (1,66% ao mês), Agibank (1,68% ao mês), Banco Pan (1,74% ao mês), BMG (1,76% ao mês) e Itaú (1,79% ao mês).

Para quem é titular de alguma prestação do INSS, o consignado faz a diferença. Para ter um parâmetro de comparação é só pensar num dos créditos mais comuns como o crédito pessoal: em média a taxa de juros desta categoria é de 4,75% mensal. Isto quer dizer que no ano, quem contratar um empréstimo pessoal vai pagar perto de 74,5% de juros, contra 20,93% para quem contratar o consignado INSS.

Mesmo que seja uma proposta interessante, o cliente ainda precisa tomar precauções para evitar prejuízos nas suas finanças. Particularmente o Procon tem identificado que o recebimento de empréstimos não contratados é um dos motivos do aumento de 137% das reclamações sobre consignado de 2019 para 2020.

PUBLICIDADE

Recomendados