PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Governo barra recursos da cultura em cidades restritas

Cotidiano

05 de março de 2021 17:40

Agência Brasil


Relacionadas

368 mil doses de vacinas contra a covid-19 chegam ao PR

Sebrae/PR e Abrasel orientam restaurantes e bares

TSE prevê compra de 176 mil urnas eletrônicas para 2022

Duplicação da BR-277 atende antigo anseio de Guarapuava
PR lidera ranking de emprego via Agências do Trabalhador
Governador Ratinho Jr. lamenta a morte de Michel Micheleto
Padres “tiktokers” fazem sucesso na internet
Análises só acontecerão para eventos presenciais com público Foto: Agência Brasil - Marcelo Camargo
PUBLICIDADE

Medida foi publicada no Diário Oficial da União e tem validade de 15 dias, podendo ser prorrogada ou suspensa

O governo suspendeu o repasse de novos recursos para atividades culturais em estados e municípios que adotaram restrição de locomoção e de atividades econômicas como medida de combate à pandemia de covid-19.

A portaria da Secretaria Nacional de Fomento e Incentivo à Cultura foi publicada hoje (5) no Diário Oficial da União.

“Só serão analisadas e publicadas no Diário Oficial da União as propostas culturais, que envolvam interação presencial com o público, cujo local da execução não esteja em ente federativo em que haja restrição de circulação, toque de recolher, lockdown ou outras ações que impeçam a execução do projeto”, diz o texto da portaria.

A medida vale por 15 dias, mas pode ser prorrogada ou suspensa, “a depender da manutenção ou não das medidas restritivas nos referidos entes da Federação”.

Em nota, a Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo explicou, com isso, serão priorizadas as análises das propostas culturais que possam ser executadas, entre elas reformas de museus, patrimônios tombados e eventos online.

“A Secretaria de Incentivo e Fomento à Cultura, pasta da Secretaria Especial da Cultura, emitiu uma portaria para agilizar os projetos com reais possibilidades de execução. Essa é uma medida que visa garantir eficiência e probidade da aplicação dos recursos públicos, tendo em vista que não haveria justificativa para liberar recurso público de um projeto que, no momento, não possa ser executado”, diz a nota.

Informações: Agência Brasil.

PUBLICIDADE

Recomendados