PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Polícia Civil do Paraná alerta para novo golpe do WhatsApp

Cotidiano

25 de abril de 2021 15:26

Da Redação


Relacionadas

Filho mata mãe e enterra pai no quintal de casa em Curitiba

Jovem morre ao tentar impedir namorado bêbado de dirigir

Seminário online gratuito debate inclusão digital

Paraná confirma mais 6.184 casos e 270 óbitos pela Covid
Apaes devem alterar estatutos para movimentar recursos
Falsa enfermeira é presa no PR com vacina contra covid-19
Começa a valer a nova política de privacidade do WhatsApp
PUBLICIDADE

Os criminosos adquirem dados pessoais das vítimas, na maioria das vezes de forma ilegal, comprando dados de cadastros do comércio ou acessando banco de dados restritos.

A Polícia Civil do Paraná faz um alerta sobre uma nova modalidade de golpe usada por estelionatários para extorquir dinheiro das vítimas por meio do WhatsApp. De acordo com do delegado Emmanoel David, é uma variação do golpe do “WhatsApp clonado”. O delegado explica que devido a ampla divulgação desse tipo de golpe, os estelionatários não vinham mais tendo tanto êxito nas tentativas e mudaram a estratégia. “Agora os criminosos adquirem dados pessoais das vítimas, na maioria das vezes de forma ilegal, comprando dados de cadastros do comércio ou acessando banco de dados restritos, principalmente pela Deep Web”, comenta David.


Golpe do WhatsApp Clonado

No golpe tradicional do “WhatsApp clonado”, o criminoso tem acesso ao WhatsApp da vítima, dona do número de telefone, e utiliza deste número para pedir dinheiro a alguma pessoa da lista de contatos. Nessa modalidade de golpe, os estelionatários clonavam o telefone por meio de um código de verificação de seis dígitos (PIN).  Esse código é enviado via esse SMS e o criminoso, que se passa por atendente de operadora de telefonia ou funcionário de aplicativo de compra e venda, só tem acesso ao WhatsApp da vítima se ela confirmar esse número.  


Novo golpe do WhatsApp

Com a nova modalidade de golpe, os estelionatários que adquirem os dados pessoais da vítima, de forma irregular, por meio de banco de dados, criam uma conta de WhatsApp com a foto retirada de redes sociais e em seguida se passam por aquela pessoa para pedir dinheiro aos contatos dela.

O criminoso manda mensagem para um familiar já pedindo dinheiro. A vítima só percebe que caiu em um golpe quando aquele familiar verdadeiro entra em contato. “Para evitar que você seja mais uma vítima procure encaminhar uma mensagem para o contato original, faça uma s ligação telefônica ou uma vídeo chamada. É importante lembrar para que você jamais confirme código de 6 dígitos para qualquer pessoa principalmente se isso chegar por SMS”, orienta o delegado.


Boletim de ocorrência on-line

A Polícia Civil tem notado o aumento dessa variante do golpe do Whats clonado e está divulgando um vídeo nas redes sociais com as orientações. No estado do Paraná os boletins de ocorrência de estelionato podem ser feitos na delegacia eletrônica por meio do site da Polícia Civil. 

PUBLICIDADE

Recomendados